1 REVISTA PERFIL
1   REVISTA PERFIL
2 REVISTA PERFIL EDI O N 41
2   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41
VENHA INVESTIR E FAZER HIST RIA EM CONGONHAS A MELHOR CIDADE DE PEQUENO PORTE DO BRASIL Lotes a partir de 1 000 m2 no novo eixo de desenvolvimento da cidade Informa es na Secretaria de Desenvolvimento Sustent vel pelo telefone 31 3731 1300 ramal 1143 A Prefeitura de Congonhas abre novos caminhos para o futuro e voc pode ser personagem principal dessa hist ria 3 REVISTA PERFIL
VENHA INVESTIR E FAZER HIST  RIA EM CONGONHAS. A MELHOR CIDADE DE PEQUENO PORTE DO BRASIL. Lotes a partir de 1.000 m2 no n...
EDITORIAL Revista PERFIL 41 Edi o DIRETORIA Sonayde Borges Jorge Barbosa EDITORA Rafaela Ara jo SONAYDE BORGES E o s culo XXI n o para de nos surpreender Com aparelhos eletr nicos cada vez menores e mais potentes smartphones tablet s culos de realidade virtual Uma enxurrada de equipamentos que garantem 100 do tempo online rela es constru das e mediadas pelas redes sociais TV e cinema n o apenas em defini o digital mas em 3D Tecnologia nos esportes na educa o presencial e a distancia na ind stria na constru o equipamentos e aparelhos que aplicados em todos os campos da vida est o transformando a realidade REDA O Rafaela Ara jo Cibele Ramos Ana Horta Fernanda Pinho Gabriel Nogueira COLABORADORES Fernando Pedro Lorena Macedo PROJETO GR FICO EDI O E DIAGRAMA O Gandini Design FOTO CAPA Andr Solano Recentemente a medicina mineira entrou definitivamente para o s culo XXI com a aquisi o do rob DaVinci que desde setembro realiza cirurgias rob ticas no Hospital Vila da Serra colocando Minas Gerais na vanguarda da medicina no pa s Uma interliga o perfeita entre tecnologia e conhecimento humano Assim como j acontecia em muitas escolas mineiras como no Col gio Colibri que completa em 2016 50 anos de hist ria cada dia mais moderno e atual A receita do sucesso aquela que faz o Colibri crescer como as massas da Bolo Gourmet Acompanhar a tecnologia mas sem deixar de lado a individualidade as particularidades e as demandas de cada ser humano E por falar em demandas individuais essa edi o est repleta daquilo que nos alegra o cora o dos destinos mais cobi ados do mundo para curtir o R veillon s belezas da Pampulha Patrim nio Hist rico da Humanidade passando pelo melhor caf do mundo pelo prazer do chope artesanal e mundo encantado da leitura CONTATO contato novalimaperfil com br Nessa edi o voc leitor da Perfil confere ainda uma entrevista exclusiva com o Prefeito de Nova Lima Vitor Penido de Barros TIRAGEM 10 mil exemplares Leia divirta se e entretenha se Porque o mundo n o para CIRCULA O VETOR SUL Belvedere e condom nios de Nova Lima Os textos assinados s o de responsabilidade exclusiva dos autores n o expressando necessariamente a opini o da revista Perfil 4 REVISTA PERFIL COMERCIAL Revista Perfil Alameda da Serra 500 Conj 906 Vale do Sereno 31 3542 5929 CNPJ 17 901 459 0001 69 41 EDI O DISTRIBUI O DIRIGIDA IMPRESS O Rona Editora EDI O N 41
EDITORIAL  Revista PERFIL   41   Edi    o DIRETORIA Sonayde Borges Jorge Barbosa EDITORA  Rafaela Ara  jo  SONAYDE BORGES ...
NDICE 10 CAPA VITOR PENIDO PREFEITO DE NOVA LIMA Foto Andr Solano 06 MARIANA Um mar de lama e incertezas 16 18 22 EDUCA O O que nos mant m saud veis e felizes ao longo da vida M VEIS M veis para reas externas pedem tecidos especiais PET Companheiro pra vida toda 38 40 TECNOLOGIA Rob tica Uma medicina de homens e m quinas PERFIL COM ARTE Pampulha Patrim nio Moderno da Humanidade 42 O MELHOR DO MUNDO Aroma e sabor irresist veis 44 MODA Biquini a roupa do ver o 26 CASA DECORA O 46 BELEZA 30 50 Um olhar jovem para o design ODONTOLOGIA O que pl stica gengival e para que serve Visagismo valoriza beleza natural SOLIDARIEDADE Belo Horizonte ganha mais uma biblioteca aberta ao p blico 32 EDUCA O 52 GENTE 36 54 ECO Educando com amor h 50 anos COMER BEBER Cultura dos Growlers ganha espa o entre os amantes de cervejas artesanais Um doce de m e Um novo cen rio para a Serra do Curral 5 REVISTA PERFIL
  NDICE  10   CAPA  VITOR PENIDO PREFEITO DE NOVA LIMA  Foto Andr   Solano  06   MARIANA  Um mar de lama e incertezas  16 ...
MARIANA mariana um mar de lama e incertezas 6 REVISTA PERFIL EDI O N 41
MARIANA  mariana  um mar de lama e incertezas  6   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41
A trag dia de Mariana completa um ano Um instante raro que transformou vida em cat strofe registrado atrav s da lente de Epaminondas Bittencourt As fotos in ditas reveladas com exclusividade nessa edi o da Revista PERFIL fazem parte do acervo documental do livro que o autor estar lan ando no in cio de 2017 por uma editora europeia 7 REVISTA PERFIL
A trag  dia de Mariana completa um ano. Um instante raro que transformou vida em cat  strofe, registrado atrav  s da lente...
8 REVISTA PERFIL EDI O N 41
8   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41
9 REVISTA PERFIL
9   REVISTA PERFIL
10 REVISTA PERFIL EDI O N 41
10   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41
11 REVISTA PERFIL
11   REVISTA PERFIL
ENTREVISTA Vitor Penido Prefeito de Nova Lima O que esperar da nova gest o Fotos Andr Solano Ap s quatro anos de disputa judicial Vitor Penido assume a Prefeitura de Nova Lima para um mandato tamp o at dezembro 2016 J reeleito para o mandato 2017 2020 Vitor recebeu a equipe da Perfil para uma entrevista exclusiva em seu gabinete 12 REVISTA PERFIL EDI O N 41
ENTREVISTA  Vitor Penido, Prefeito de Nova Lima. O que esperar da nova gest  o   Fotos Andr   Solano  Ap  s quatro anos de...
Em que situa o o senhor encontrou a Prefeitura Antes mesmo de assumir a Prefeitura de Nova Lima t nhamos ci ncia da situa o cr tica que ir amos encontrar contudo somente ap s um diagn stico minucioso verificamos uma condi o alarmante que nos obriga a tomar uma s rie de medidas urgentes N o bastasse o incha o da m quina p blica encontramos uma cidade devastada e sem recurso algum para novos investimentos Dentro desse cen rio precisamos nos unir para tirar Nova Lima dessa dif cil crise financeira e trazer a cidade de volta aos tempos em que a qualidade de vida a tornaram destaque no estado e no pa s Tenho certeza de que vamos dar conta do recado com essa equipe competente e muito empenhada que estamos formando e a uni o de todos os servidores em prol de uma presta o de servi o de qualidade Hoje a situa o j est mudando Todos sabem que existe um prefeito que est aqui para trabalhar que vive na cidade uma pessoa que est aqui n o para ser prefeito pela 6 vez mas sim pelo amor que eu tenho por Nova Lima Na poca da campanha eleitoral foi veiculada uma mat ria em que o prefeito anterior dizia que tinha pago todas as contas da prefeitura Como est o as finan as do munic pio Falar uma coisa dessas um despreparo Por exemplo ele deixou a folha de pagamento de setembro em aberto sem recursos para pagar Quando assumi havia quatro milh es em caixa Somente com pessoal eram cinco sal rios que tenho que pagar at o final do ano setembro outubro novembro dezembro e d cimo terceiro o que representaria gastos em torno de 125 milh es de reais incluindo cesta ticket refei o plano de sa de etc E a previs o de receita para estes tr s meses est projetada em cerca de 110 milh es de reais para todas as despesas incluindo os percentuais de sa de e educa o Al m dos sal rios recebi como heran a duas f rias vencidas de grande parte dos funcion rios E esse apenas um exemplo que mostra que Nova Lima foi administrada por pessoas que n o tinham no o do que estavam fazendo aqui dentro A cidade ficou 12 anos sem ter um prefeito sentado nessa cadeira porque essa situa o n o de responsabilidade apenas do ex prefeito recente fruto da administra o anterior tamb m porque que ela foi a grande culpada do incha o da m quina publica e pela quantidade de cargos que a Prefeitura passou a ter 13 REVISTA PERFIL
Em que situa    o o senhor encontrou a Prefeitura  Antes mesmo de assumir a Prefeitura de Nova Lima, t  nhamos ci  ncia da...
O senhor pretende fazer uma auditoria na Prefeitura Sim farei uma auditoria em raz o da situa o em que a prefeitura se encontra hoje e at para me resguardar porque eu tamb m passo a ter responsabilidade sobre este ano fiscal Quais ser o as suas prioridades para Educa o Vou retornar com a Escola em Tempo Integral e espero que j no pr ximo ano a gente consiga implantar o programa em um bom n mero de escolas Isso n o promessa um compromisso Vamos trabalhar para isso Melhorar a qualidade da merenda escolar tamb m nossa meta Estamos autorizando mesmo sem ter condi es financeiras que a partir do ano que vem voltemos a oferecer quatro refei es nas escolas mesmo sabendo que teremos que cortar em outros setores Uma coisa que n o podemos deixar que um aluno que esteja em escola p blica n o esteja bem nutrido E na Sa de quais ser o as prioridades O atendimento de emerg ncia foi transferido da Policl nica para a UPA O senhor j tem ideia de como vai funcionar a Policl nica 14 REVISTA PERFIL Minha opini o que com uma cidade do tamanho de Nova Lima e mesmo considerando que pessoas de Raposos e Rio Acima tamb m acabam procurando atendimento aqui a cidade n o precisaria de uma UPA T nhamos condi o de resolver o problema de Sa de do munic pio com o Hospital e a Policl nica n o com um plant o de 24 mas de 18 horas Mas a UPA foi feita uma constru o de valor consider vel e que poderia ter sido feita em outras regi es que precisam mais Mas se est constru da tenho que encarar e n o posso deixar de resolver e fazer com que funcione e atenda a popula o de Nova Lima Uma das obras da Sa de que n o foi conclu da ainda a policl nica do Jardim Canad O senhor tem inten o de conclui la A situa o da policl nica do Jardim Canad uma desmoraliza o Vamos trabalhar para Policl nica funcionar Vamos correr atr s desse dinheiro da Vale que tenho certeza que uma grande parceira O Jardim Canad pode contar com a minha seriedade e o meu respeito Para isso j nomeei um Subsecret rio para a Regional que o Robert Laviola que est com a incumb ncia de ajudar a conseguir recursos para gente poder resolver os problemas do bairro EDI O N 41
O senhor pretende fazer uma auditoria na Prefeitura  Sim, farei uma auditoria em raz  o da situa    o em que a prefeitura ...
Nova Lima enfrenta s rios problemas com engarrafamentos constantes principalmente na sa da do munic pio Como o Sr pretende resolver essa quest o Primeiramente uma medida que n o pode demorar at porque nada pode demorar no munic pio hoje a revis o do plano diretor Isso fundamental para que a mobilidade do novalimense seja garantida Queremos contar com a parceria dos empreendedores da cidade para encontrarmos uma solu o o mais r pido poss vel Nos ltimos anos a regi o do Vila da Serra sofreu forte expans o imobili ria O que pretende fazer para controlar esse crescimento e os transtornos causados na regi o O senhor pretende rediscutir a altera o do Plano Diretor em curso Em nossa ltima administra o discutimos um Plano Diretor com moradores de todas as regi es e tamb m com as empresas que trabalhavam no munic pio Infelizmente em raz o de o mandato estar acabando esse Plano Diretor que tinha sido feito por pessoas muito preparadas todas pessoas integras e corretas n o foi aprovado E a se deu a confus o que presenciamos hoje Nesses 12 anos houve diversas altera es um plano que come a e n o termina ou prop e solu es que n o s o vi veis E os moradores pagam um pre o caro Minha expectativa revisar o Plano Diretor no ano que vem e que com essa revis o tenhamos condi es para frear esse crescimento desordenado e melhorar a quest o do tr nsito Lima est falida e endividada teremos que tomar provid ncias Em raz o do bom relacionamento que tenho com a Copasa e com os governos estadual e federal vou correr atr s da solu o Mais de 50 da arrecada o do munic pio vem das regi es do Villa da Serra e Jardim Canad Quais os seus planos para essas reas Qualquer coisa que eu prometer agora com o or amento nessas condi es estarei falando bobagem Primeiro temos que acertar o or amento e n o vai ser f cil Temos que correr atr s fazer levantamentos financiamentos coisa que nos meus outros mandatos anteriores nunca foi necess ria A sim vamos eleger as prioridades e com certeza essas regi es ser o muito bem olhadas por n s E com a ocupa o desordenada de gua Limpa Em rela o ao bairro gua Limpa temos que trabalhar conjuntamente com o munic pio de Itabirito Vamos tomar medidas para frearmos a ocupa o desordenada da regi o e dar acesso aos servi os p blicos como sa de seguran a e educa o Como o senhor v o crescimento do Villa da Serra e da regi o dos Condom nios A primeira coisa que a gente tem que entender que se n s n o ocuparmos os espa os da forma correta depois vamos ter um problema que ser imposs vel de se corrigir Ent o sou a favor do crescimento ordenado e com responsabilidade Os condom nios horizontais por exemplo representam um grande benef cio que tivemos porque ocuparam os espa os de forma ordenada N o temos gastos com sa de com educa o e acabam gerando receita para cidade E mais geram emprego A quest o sanit ria um dos maiores dramas da cidade O que o senhor pretende fazer para resolver No meu ltimo mandato deixei prontos projetos de duas esta es de tratamento de esgoto Nova Lima tinha condi es de ter feito as duas esta es e eu penso que poderia ser cobrada parte dos servi os de opera o da popula o mas n o 100 Hoje me parece que houve um termo de ajuste de conduta com o Minist rio P blico e que j passou do prazo um assunto que tem que ser discutido com o Minist rio P blico mesmo que a prefeitura n o tenha as condi es que teve durante esses ltimos 12 anos Nova 15 REVISTA PERFIL
Nova Lima enfrenta s  rios problemas com engarrafamentos constantes, principalmente na sa  da do munic  pio. Como o Sr. pr...
EDUCA O LORENA MACEDO O que nos mant m saud veis e felizes ao longo da vida H alguns dias tive acesso a uma palestra que abordou uma pesquisa que vem sendo realizada na Universidade de Harvard h 75 anos O Estudo do Desenvolvimento Adulto um dos mais longos j realizados nessa Institui o busca resposta para a seguinte pergunta O que nos mant m saud veis e felizes ao longo da vida Apesar de ainda n o ter sido finalizada a pesquisa j concluiu que ao contr rio do que alguns possam pensar n o o poder ou o dinheiro ou mesmo a realiza o profissional que faz com que as pessoas ao final de sua vida sintam que tiveram uma jornada plena A qualidade de vida das pessoas mais felizes e saud veis est diretamente ligada qualidade das rela es que elas tiveram ao longo da vida O homem por sua natureza um ser social Desde o nascimento ele interage com o mundo e inicia um processo de comunica o sensitiva oral auditiva E a partir dessas intera es que ele forma a sua imagem e se constitui enquanto ser humano Pode existir algu m que questione como as rela es humanas confusas e complicadas podem ser determinantes para a plenitude de um ser humano Por m necess rio consider las j que somos seres sociais Podemos nos perguntar tamb m se somos seres de rela o por que insistimos em nos isolar valorizando mais a tecnologia do que as pessoas de carne e osso Considerando a escola e a fam lia os dois grandes espa os onde os jovens aprendem a construir rela es sociais o que podemos fazer para melhorar a qualidade e a intensidade delas Perguntas como essas sempre nos inquietam e nos impulsionam a trabalhar mais e melhor Confesso no entanto que em tempos de Pok mon Go soa um pouco assustador pensar que o aspecto mais fundamental de garantia sa de e ao bem estar das pessoas passa pela qualidade das rela es sociais que elas estabelecem ao longo da vida Ang stias parte a verdade que as conclus es dessa pesquisa n o nos surpreendem S nos lembram e nos d o o peso real do papel fundamental que desempenhamos na trajet ria de nossos meninos e como o cuidado acolhimento e amor s o determinantes para o sucesso na caminhada de cada um deles Sabemos que desafiador o lugar que a escola e a fam lia ocupam na forma o das crian as O diretor atual dessa pesquisa de Harvard termina sua palestra parafraseando Mark Twain N o h tempo t o breve a vida para conflitos desculpas amarguras presta o de contas S h tempo para amar e mesmo para isso s um instante Lorena Macedo Diretora do Col gio Santo Agostinho Unidade Nova Lima 16 REVISTA PERFIL EDI O N 41
EDUCA    O  LORENA MACEDO  O que nos mant  m saud  veis e felizes ao longo da vida  H   alguns dias, tive acesso a uma pal...
17 REVISTA PERFIL
17   REVISTA PERFIL
M VEIS O Sof Ver o da L der Interiores faz parte da Linha Casual da marca e foi desenhado pelo conceituado est dio Nada Se Leva Modulado e com op es com e sem encosto permite ao usu rio montar o sof como uma quebra cabe a da forma que lhe for conviniente M VEIS PARA REAS EXTERNAS PEDEM TECIDOS ESPECIAIS Quem tem uma varanda espa o gourmet ou rea externa em casa sabe como dif cil manter os m veis com uma boa apar ncia por muito tempo Para sobreviver s intemp ries o mobili rio precisa carregar algumas caracter sticas especiais seja em sua estrutura ou revestimento 18 REVISTA PERFIL EDI O N 41
M  VEIS  O Sof   Ver  o, da L  der Interiores, faz parte da Linha Casual da marca e foi desenhado pelo conceituado est  di...
Tamb m da Linha Casual L der Interiores a poltrona Arraia do est dio Lattoog Design possui desenho bem flu do e minimalista definido por uma superf cie curva e cont nua A escolha do tecido exerce um papel fundamental para garantir a longevidade de m veis para reas externas Al m de sua qualidade conforto e design tamb m importam Afinal ningu m quer desfrutar de momentos de lazer em um tecido duro desagrad vel ao toque nem ter que escolher entre poucas op es de padronagens ou cores sem gra a Do Est dio L der Interiores de Design a cadeira e poltrona Apu fabricadas em metal fibra sint tica e com almofada em tecido levam conforto delicadeza e beleza s reas externas e internas Entre os atributos dos tecidos especiais para reas externas destacamos sua impermeabiliza o facilidade para lavar resist ncia ao calor intenso e umidade Esses tecidos sint ticos recebem tratamentos exclusivos contra raios UV antimofo bactericida repel ncia a l quidos etc Escolha os fabricados em polipropileno com algod o acr lico que n o desbotam vinil ou couro n utico Deixe longe da rea externa os tecidos naturais e delicados como sedas linhos e veludos 19 REVISTA PERFIL
Tamb  m da Linha Casual L  der Interiores, a poltrona Arraia, do est  dio Lattoog Design, possui desenho bem flu  do e min...
Tecidos sofrem naturalmente um desgaste pelo uso com o passar dos anos A manuten o adequada pode prolongar sua vida til Por m resist ncia e durabilidade s o quesitos essenciais para pe as que ficar o expostas no tempo Excelentes op es de tecidos que apresentam estas fun es s o encontradas na Lider Interiores Em sua linha Casual desenhadas para estes ambientes s o mais de 100 op es de estampas Com garantia que pode chegar a tr s anos estes tecidos especiais chegam a durar at uma d cada Uma novidade que a empresa apresentar em breve s o os tecidos que oferecem prote o contra os insetos problema bem comum das reas externas Poltrona Sueca da Lattoog Design para a L der Interiores leva o design sueco para as reas externas das casa Sof e mesa de centro Marapendi da Lattoog Design para a L der Interiores Prolongue a vida til do tecido no seu m vel de rea externa Periodicamente retire o acumulo de p Retire as almofadas dos m veis quando n o estiverem em uso na rea externa Lave o tecido apenas com sab o neutro Essa uma grande vantagem pois a manuten o bem f cil e pode ser feita em casa mesmo Deixe os tecidos de cores escuras azul marinho preto marrom e vermelho intenso por exemplo para reas onde n o bata muito sol pois elas absorvem muito calor e desbotam com mais facilidade Nesses locais abuse de tonalidades como cru e fendi que esbanjam beleza e disfar am a sujeira LINHA CASUAL L DER INTERIORES Conhe a mais em liderinteriores com br Ponteio Lar Shopping Sion Gr o Mogol 678 Chaise Nina do Est dio L der Interiores de Design da linha Casual da marca 20 REVISTA PERFIL EDI O N 41
Tecidos sofrem, naturalmente, um desgaste pelo uso, com o passar dos anos. A manuten    o adequada pode prolongar sua vida...
OPEN YOUR EYES VIVI I TUOI SOGNI O FUTURO DO SEU FILHO COME A NA FUNDA O TORINO PROCESSO DE ADMISS O 2017 31 3289 4200 fundacaotorino com br 21 REVISTA PERFIL
OPEN YOUR EYES, VIVI I TUOI SOGNI    O FUTURO DO SEU FILHO COME  A NA FUNDA    O TORINO. PROCESSO DE ADMISS  O 2017 31 328...
COMPORTAMENTO Fotos Divulga o 22 REVISTA PERFIL EDI O N 41
COMPORTAMENTO  Fotos Divulga    o  22   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41
Entre as fam lias que j adotaram um c ozinho unanimidade que o contato com o pet vai muito al m da companhia que proporcionam Um pequeno tempo di rio dedicado a eles funciona como uma terapia ao ser humano Isto porque conversar e brincar com animais pode diminuir o estresse sem contar o carinho que eles s o capazes de doar Mas os bichinhos de estima o podem desempenhar um papel ainda mais nobre ajudando nas perdas pessoais por exemplo Estudos feitos com pessoas que perderam um ente querido mostram que os donos de animais est o menos propensos depress o e sensa o de isolamento Foto Arquivo pessoal H dezenas de anos a ci ncia vem estudando a influ ncia positiva que os animais t m na sa de humana Com benef cios que v o desde antes do nascimento at a terceira idade E ao que parece os brasileiros j perceberam isso Um estudo do IBGE publicado no ltimo ano revela que no Brasil o n mero de fam lias que criam pelo menos um cachorro maior do que o de fam lias que t m crian as S o 52 2 milh es de c es e 44 9 milh es de crian as no pa s ou seja mais de 52 dos lares brasileiros Dona Eurides se distrai com Fiona Segundo a veterin ria Amanda Cardoso Reis a procura por animais de estima o tem uma explica o simples Os pet s especialmente os c es trazem in meros ben ficios para a sa de dos tutores independente da idade Sendo a conviv ncia com os mesmos um fator determinante no alivio do estresse e como estimulante de atividades f sicas essenciais manuten o da sa de N o toa percebe se nos ltimos anos uma mudan a muito n tida na rela o com os c ezinhos que hoje s o tratados como membro da fam lia que nao mede esfor os ou custos para lhes oferecer o melhor Os idosos e as crian as s o especialmente beneficiados pelo conv vio com os animais Para os idosos os animais apresentamse como grande atrativo ajudando a melhorar o bem estar dos mesmos transmitindo seguran a e reduzindo a sensa o de solid o Os c ezinhos ainda s o grandes estimuladores aos exerc cios e s pequenas caminhadas que permitem que o c rebro se mantenha ativo obtendo respostas mais r pidas a est mulos externos e contribuindo para a manuten o da coordena o motora Tamb m est comprovado que os doentes com Alzheimer que interagem com animais s o pessoas com comportamentos menos agitados e consequentemente mais soci veis Relativamente aos doentes com Parkinson os c es revelam se muito companheiros e extremamente atentos condi o f sica do seu dono Para Eurides Maria de Jesus 84 anos tutora da d cil Fiona uma Shitzu de 02 anos o resultado das pesquisas n o poderia ser mais verdadeiro a Fiona minha companheira ela a alegria da casa nos dias em que estou mais debilitada ela est sempre por perto motivando pequenos gestos e contribuindo para a melhora do quadro 23 REVISTA PERFIL
Entre as fam  lias que j   adotaram um c  ozinho,    unanimidade que o contato com o pet vai muito al  m da companhia que ...
Quanto s crian as a afei o aos animais n tida Quase todos os pequenos j pediram aos pais um amiguinho Inclusive muitos psic logos recomendam um animal de estima o para crian as sozinhas ou com problemas de timidez O animal tamb m pode despertar o senso de responsabilidade na crian a e ajudar em eventuais perdas M e do pequeno Jo o de 03 anos a jornalista Maria Isabel conta que desde os primeiros meses de vida o filho se adaptou muito bem presen a de Safira a cadela da fam lia que poca j estava com 6 anos Pouco antes do Jo o nascer come amos a fazer alguns ajustes na rotina da Safira tanto do ponto de vista do acesso casa quanto dos passeios Mas o Jo o sempre conviveu muito com ela desde os primeiros meses Sempre com a supervis o de um adulto Com a proximidade deles vimos nascer um carinho genu no e reciproco Uma rela o que s pode trazer benef cios Socializa o Talvez n o soubesse que um c ozinho pode fazer t o bem n o mesmo Se voc j tem um todo o cuidado e afeto valem a pena e se ainda n o tem quem sabe n o seja a hora de pensar em adotar um Diminui o da solid o 24 REVISTA PERFIL Al vio do estresse Redu o da press o arterial Combate depress o Eleva o da autoestima Libera o de horm nios da felicidade Incentivo pr tica de atividades f sicas Senso de responsabilidade EDI O N 41
Quanto   s crian  as, a afei    o aos animais    n  tida. Quase todos os pequenos j   pediram aos pais um amiguinho. Inclu...
25 REVISTA PERFIL
25   REVISTA PERFIL
CASA DECORA O Um olhar jovem para o design Foto Daniel Mansur A designer de interiores Laura Santos uma das representante de uma gera o que n o mede esfor os para conquistar aautorrealiza o O resultado disso o vasto portf lio de projetos residenciais e comerciais executados A chamada Gera o Y tem como um dos principais tra os caracter sticos o desejo de realizar se profissionalmente antes dos 30 anos Talvez isso seja reflexo de uma gera o que se desenvolveu junto com as tecnologias e viu o mundo acelerar como nunca A designer de interiores Laura Santos um exemplo de profissional que ainda na inf ncia descobriu sua voca o gra as a aparatos tecnol gicos e hoje j possuiu uma carreira consolidada O meu primeiro contato com o design de interiores foi ainda muito nova quando comecei a me interessar por programas de decora o e por jogos como o The Sims Esse tipo de jogo me inspirava e minha parte preferida era montar as casinhas Ali come ava a nascer o design na minha vida Foi natural j que sempre fui muito criativa e gostava de desenhar relembra Foto Henrique Queiroga 26 REVISTA PERFIL EDI O N 41
CASA   DECORA    O  Um olhar jovem para o design  Foto Daniel Mansur  A designer de interiores Laura Santos    uma das rep...
Mesmo tendo descoberto suas aptid es muito nova Laura passou por uma d vida recorrente entre os jovens brasileiros que se veem diante da obriga o de escolher uma carreira com apenas 18 anos O in cio foi um pouco confuso Fiz vestibular para Turismo na UFMG e para Rela es P blicas na PUC Cheguei a frequentar o curso da PUC por tr s semestres mas acabei come ando a cursar Design de Interiores na UEMG paralelamente Na faculdade eu descobri que o Design n o seria apenas um hobby como cheguei a pensar mas minha profiss o conta Laura que se graduou como designer de interiores aos 22 anos Tendo trabalhado por conta pr pria desde que saiu da faculdade a profissional relata que sempre investiu na busca pelo seu estilo para destacar se no mercado Os projetos que levam a minha assinatura s o projetos leves e com toques de cores Geralmente eles s o alegres e refletem essa minha espontaneidade e jovialidade Gosto das coisas sofisticadas mas com personalidade frescor e vida avalia a designer que tem levado esse seu estilo para uma recheada cartela de clientes em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro Segundo a profissional dividir se entre as duas cidades fundamental para oxigenar as ideias e estar sempre por dentro das novidades Trabalhar nas duas cidades me d a clareza da diferen a no jeito de morar no mar e na montanha No Rio costumo desenvolver projetos mais despretensiosos com uma pegada mais fresh J aqui em Minas os projetos s o mais sofisticados e tradicionais pondera Foto Henrique Queiroga Foto Daniel Mansur 27 REVISTA PERFIL
Mesmo tendo descoberto suas aptid  es muito nova, Laura passou por uma d  vida recorrente entre os jovens brasileiros, que...
Para dar conta das demandas a jovem profissional conta com um escrit rio base em Belo Horizonte onde tem o apoio de uma equipe de sete colaboradores Eles s o meus bra os direito e esquerdo Uma equipe que fundamental para mim pontua enfatizando que para empreender preciso delegar e confiar dentro da sua empresa que Laura transforma a hist ria de outras empresas Al m dos projetos residenciais o escrit rio Laura Santos Arquitetura e Interiores hoje respons vel pela execu o de uma s rie de projetos corporativos que v o de lojas a escrit rios Os projetos comerciais e institucionais vem me dando muito prazer porque uma possibilidade de trabalhar para um n mero maior de pessoas Muitas vezes eu tenho que trabalhar baseada num mix entre o perfil do meu cliente e o perfil do p blico que ele vai atender Se estou executando um restaurante por exemplo tenho que pensar nas caracter sticas t cnicas e ergon micas mas tamb m em como diferenciar aquela empresa das concorrentes O design de interiores pode trazer ao projeto todas as caracter sticas necess rias para que a empresa se destaque no mercado E eu acho tudo isso fascinante 28 REVISTA PERFIL EDI O N 41
Para dar conta das demandas, a jovem profissional conta com um escrit  rio base em Belo Horizonte, onde tem o apoio de uma...
Laura tamb m possui em seu curr culo a participa o da cenografia e dire o de arte de cat logos de empresas como a Aluminas M veis feito junto com o fot grafo Daniel Mansur Mais uma rea que a enche de energia pois algo ef mero e que d um resultado bacana rapidamente Para estar sempre atualizada Laura procura estar constantemente envolvida nos eventos de seu segmento J participou da mostra Morar Mais Por Menos duas edi es da Casa Cor Minas e da Mostra Casa Construir criada pelo renomado estilista Victor Dzenk Tamb m j participou de congressos internacionais como o Encontro Latino Americano de Design em Buenos Aires e feiras nacionais como a Expo Revestir e Art Rio que acontecem em S o Paulo e Rio de Janeiro Sempre que poss vel viaja para Feira de Mil o o maior evento de tend ncias do design e mobili rio do mundo o que serve de grande inspira o para uma nova empreitada recentemente Laura foi convidada para desenhar pe as de mobili rio para uma f brica de m veis Como o grande momento de sua carreira a designer destaca o Pr mio da Roca Top Project Que a levou para Londres Durante a viagem ela pode ter contato com a obra de sua grande inspira o a arquiteta iraquiana Zaha Hadid que faleceu em mar o deste ano Com essa viagem para a Inglaterra pude visitar o Roca London Gallery que um projeto de Zaha Hadid e a visita foi acompanhada por colaboradores do escrit rio dela Foi uma experi ncia nica e inesquec vel muito importante para meu trabalho avalia 29 REVISTA PERFIL
Laura tamb  m possui em seu curr  culo a participa    o da cenografia e dire    o de arte de cat  logos de empresas como a...
ODONTOLOGIA PAULO COELHO ANDRADE O que a pl stica gengival e para que ela serve A constante busca pelo sorriso perfeito n o costuma parar somente na est tica dos dentes mas tamb m na moldura dos mesmos a gengiva O avan o da tecnologia em est tica bucal que possibilita corre es na forma e cor dos dentes atrav s de facetas trouxe uma nova e n o menos importante demanda est tica a corre o da gengiva e consequentemente do posicionamento dos l bios Indicada para qualquer tipo de discrep ncia est tica das gengivas retra das finas demais ou em excesso a pl stica gengival posiciona melhor o tecido proporcionando harmonia no sorriso e equil brio entre dentes e rosto Muitas pessoas possuem as coroas dent rias parte vis vel dos dentes encobertas pelo excesso de gengiva O sorriso alto mais comum em mulheres uma das maiores indica es para a gengivoplastia Outro caso bastante comum para a realiza o do procedimento a retra o gengival Al m de deixar a raiz do dente exposta em alguns casos h uma super sensibilidade nos dentes afetados provocando uma dor intensa ao consumir certos alimentos ou at mesmo em tempos mais frios Escova de dentes dura m Cl nica Dr Paulo Coelho Andrade Especializada em Implantodontia e Odontologia Est tica Av Bandeirantes 466 Mangabeiras BH Servi o de manobrista www implantodontia mg com 30 REVISTA PERFIL escova o de forma vigorosa placa bacteriana e at biotipo podem contribuir para a retra o gengival J a hiperplasia crescimento desordenado da gengiva pode ter diversas causas como o uso de medicamentos traumas e tamb m a placa bacteriana A gengiva fica gordinha e pode chegar at a tampar os dentes O primeiro passo para resolu o do problema nesses casos a remo o do agente causador da hiperplasia pr tese mal adaptada medica o ou placa bacteriana entre outros Caso n o haja regress o completa o que bastante comum indicada a cirurgia na gengiva para remo o do excesso de tecido Os desn veis gengivais podem comprometer at mesmo tratamentos que poderiam ter resultados mais expressivos como o uso de facetas pois como dito anteriormente a gengiva a moldura para os dentes A pl stica gengival minimamente invasiva portanto n o costuma causar incha o e dor O p soperat rio pede cuidado na escova o alimentos leves e macios e uso de produtos e medicamentos espec ficos prescritos pelo cirurgi o dentista Mestre em Implantodontia pelo Centro de Pesquisas Odontol gicas de Campinas e especialista em Implantodontia pela Associa o Brasileira de Odontologia ambos os t tulos reconhecidos pelos Conselhos Estadual e Federal de Odontologia Dr Paulo j realizou mais de 50 000 implantes e 25 anos em implantodontia Autor de v rios artigos cient ficos publicados dentro e fora do pa s tamb m p s graduado em Fixa o Zigom tica Periodontia Cirurgias Avan adas Seda o e Odontologia Est tica P s graduado no sistema de porcelanas CAD CAM pela CEREC SIRONA Alemanha EDI O N 41
ODONTOLOGIA  PAULO COELHO ANDRADE  O que    a pl  stica gengival e para que ela serve  A constante busca pelo sorriso perf...
Solu es completas para ambientes de trabalho Av do Contorno 6241 Savassi I Belo Horizonte I MG 31 3225 9750 comercial mobiliabh com br Visite nosso site www mobiliasolucoes com 31 REVISTA PERFIL
Solu    es completas para ambientes de trabalho  Av. do Contorno, 6241 Savassi I Belo Horizonte I MG  31  3225-9750 comerc...
EDUCA O Educando com amor h 50 anos Fotos Andr Solano Col gio Colibri comemora cinquenten rio reafirmando princ pios de sua funda o 32 REVISTA PERFIL EDI O N 41
EDUCA    O  Educando com amor h   50 anos  Fotos Andr   Solano  Col  gio Colibri comemora cinquenten  rio reafirmando prin...
Na segunda metade da d cada de 1960 em uma Belo Horizonte que crescia sem parar impulsionada pela amplia o da ind stria e do com rcio surge um novo modelo de educa o voltado para a educa o human stica e para o prazer do aluno em aprender assim nasce o Col gio Colibri O nome escolhido vem da lenda do pass ro que mesmo diante de um grande inc ndio n o se intimida pelo seu pequeno tamanho e pela grandeza do desafio Completando meio s culo em 2016 o Col gio fundado por Maria Fonseca de Castro Myrthes de Sousa Lima e L cia Maria de Sousa Lima se destaca pelo respeito individualidade do aluno e a consci ncia de que cada ser humano tem seu tempo suas demandas suas particularidades O resultado Um projeto que forma crian as e jovens no mais profundo sentido pedag gico do termo O que pode ser percebido desde o cuidado com os pequeninos da pr escola at orienta o profissional dos jovens do ensino m dio frente do Colibri desde a d cada de 90 est o as irm s Let cia e Fl via Souza de Lima Atualmente o Col gio atende a mais de 350 alunos em turnos parciais e integrais que tem a sua disposi o uma grade curricular ampla e modular Muitos dos alunos s o filhos de ex alunos outros est o na escola desde 33 REVISTA PERFIL
Na segunda metade da d  cada de 1960, em uma Belo Horizonte que crescia sem parar, impulsionada pela amplia    o da ind  s...
muito pequenos tendo constru do toda uma hist ria no Colibri o caso do estudante Arthur Pereira de Castro 14 aluno do Colibri h 07 anos De acordo com a sua m e a dentista Luciana Pereira Castro 48 elas encontraram no col gio exatamente o que estavam procurando uma escola que auxiliasse na forma o de valores para a vida com afeto e acolhimento e claro que passasse conhecimentos aos alunos com qualidade respeitando as dificuldades e caracter sticas individuais de cada um para que ele possa ter maior satisfa o em estudar Al m disso o Arthur adora o astral da escola A confeiteira Alessandra Rocha 44 m e de Felipe Rocha Mori 11 e Julia Rocha Soares 07 concorda com Luciana e conta que Al m de nos atender em todas as demandas e expectativas o Colibri tem um grande e raro diferencial L cada aluno realmente nico Todos os funcion rios desde a portaria secretaria limpeza professores diretoria realmente conhecem os alunos a fam lia e as particularidades de cada um A diretora Let cia Souza de Lima afirma que esse cuidado com o aluno um dos pilares do Colibri Buscamos formar 34 REVISTA PERFIL EDI O N 41
muito pequenos, tendo constru  do toda uma hist  ria no Colibri.    o caso do estudante Arthur Pereira de Castro  14 , alu...
cidad os capazes de cuidar de si mesmos sem preju zo do envolvimento e da participa o social Empenhamos nossa experiencia a servi o disso sem abrir m o da aplica o dos conceitos que aprimoram e modernizam continuamente a pedagogia Apesar de cinquenten rio o Colibri se renova a cada dia se mantendo jovem no relacionamento entre educador e aluno investindo em novas tecnologias em grades modulares em projetos sociais No Colibri buscamos oferecer a melhor experiencia educacional para cada aluno dentro das suas potencialidades e limita es Queremos que cada um seja o melhor que puder sem a necessidade de ser sempre o melhor em tudo Para isso estamos sempre ampliando as possibilidades Nossos alunos tem aula de empreendedorismo jardinagem fotografia culin ria esportes idiomas circo e organiza o para o trabalho Tudo para expandir os horizontes a partir do maternal completa Fl via de Souza Lima Aten o de quem planeja e dedica o de quem ensina e faz do Colibri a sua segunda casa A professora M rcia Gomes que leciona no Colibri h 8 anos fala de como o Col gio capaz de mudar a vida das pessoas O que mais precisamos na vida de algu m que nos leve a realizar o que queremos fazer Isso encontrei aqui nesses 15 anos de conviv ncia e trabalho dedica o e amor 35 REVISTA PERFIL
cidad  os capazes de cuidar de si mesmos, sem preju  zo do envolvimento e da participa    o social. Empenhamos nossa exper...
COMER BEBER Cultura dos growlers ganha espa o entre os amantes de cervejas artesanais Voce j ouviu falar em growler N o E que tal se deliciar com um chope fresquinho em casa Sim Ent o voc precisa saber mais desse tal growler Trata se de um recipiente de vidro cer mica ou alum nio com capacidade variando entre 1 e 5 litros Possui tampa de rosca ou press o que evita a perda de g s carb nico da bebida e conservando qualidades como o sabor e o frescor por alguns dias O garraf o fica completamente vedado perfeito para o transporte seguro do precioso chope disponibilizando esta es para venda de growler Atualmente bares f bricas e distribuidores j possuem o servi o e o consumidor pode comprar e encher seu recipiente Duas redes de supermercado de BH tamb m lan aram espa os exclusivos para venda de chope para os usu rios dos growlers Bem conservado sob refrigera o a bebida mant m seu sabor original por at uma semana Mas preciso manter na temperatura adequada e bem vedado E ai est a vantagem O sabor do chope nico e muitos apreciadores podem atrav s desse sistema comprar uma quantidade que julga ideal para consumo pr prio sem precisar ter uma chopeira e sem perder as caracter sticas originais do chope E esse fator est atraindo cada vez mais adeptos Ampliando tamb m a rede de estabelecimentos que est o Segundo o site Brejas quem inventou o growler foi a cervejaria norte americana Otto Brothers Brewery no final do s culo XIX Embora ainda engatinhando aqui no pa s essa cultura j muito comum nos Estados Unidos e na Europa e tem crescido exponencialmente em terras brazuca A jornalista especializada em cervejas Fabiana Arreguy conta que h cerca de quatro 36 REVISTA PERFIL EDI O N 41
COMER   BEBER  Cultura dos growlers ganha espa  o entre os amantes de  cervejas artesanais Voce j   ouviu falar em growler...
Foto B rbara Kaucher onde os growlers t m vez Segundo Tatiana Paro gerente de eventos da casa do inicio do ano at agosto de 2016 houve um crescimento de 20 na compra de chope nesse sistema Os mais procurados segundo ela s o a IPA Tommy Gun e Pele Vermelha Medieval e Capit o Senra Isso depende da poca do ano Em dias mais quentes as cervejas mais refrescantes t m mais sa da Tatiana Paro atribui esse crescimento a v rios fatores Primeiramente digo que o belo horizontino est aprendendo a beber e apreciar cervejas artesanais o que ajuda e muito nessa cultura Tomar o chope ao inv s da cerveja a certeza de estar tomando um produto fresco novo e rec m chegado da f brica O sabor nico Se for olhar o custo benef cio vale mais a pena comprar o litro de chope do que uma garrafa de cerveja do mesmo r tulo Foto Divulga o anos a cervejaria Bodebrown de Curitiba lan ou as garrafas por aqui criando um evento semanal chamado Growler Day Antes ela recorda que algumas pessoas possuem h anos as garrafas ou sif es trazidos l de fora Mas a utiliza o delas era praticamente decorativa E o mercado tem tanto potencial que o Verdemar lan ou a primeira esta o de Growler da Am rica Latina em 2016 em parceria com a cervejaria W ls O Grupo Super Nosso n o ficou atr s e fechou com a Cervejaria Backer sua primeira growlerstation As f bricas tamb m s o pontos para os amantes das cervejarias artesanais encherem seus growlers A Krug est oferecendo seus growlers de dois litros A cervejaria disponibiliza toda sua linha de chopes O Templo Cervejeiro da Backer outro local Fabiana Arreguy tamb m d dicas de como cuidar de seu vasilhame para evitar que impregne odores A cerveja muito rica em a car Por isso importante lavar o growler t o logo ele se esvazie N o se deve deixar nele resqu cio de cerveja velha o que seria uma fonte certa de contamina o resultando numa cerveja azeda na pr xima vez que fosse cheio Fora que se cria uma camada s lida dif cil de tirar depois de seca Para lavar como o gargalo fino e n o cabe uma esponja pode se usar uma escova de lavar mamadeira esfregando poucas gotas de detergente neutro com gua em todo o lado interno do recipiente Se nem a escova entrar pelo gargalo ent o enche se o growler com uma mistura de gua detergente neutro e algumas gotinhas de vinagre Tampa se sacode se a garrafa e descarta essa mistura Enxaguar quantas vezes for necess rio para n o restar nenhum tra o do sab o afirma 37 REVISTA PERFIL
Foto B  rbara Kaucher  onde os growlers t  m vez. Segundo Tatiana Paro, gerente de eventos da casa, do inicio do ano at   ...
TECNOLOGIA Rob tica Uma medicina de homens e m quinas 38 REVISTA PERFIL EDI O N 41
TECNOLOGIA  Rob  tica.  Uma medicina de homens e m  quinas  38   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41
A medicina mineira acaba de entrar definitivamente no s culo XXI Desde o m s de setembro a Funda o Educacional Lucas Machado Feluma em parceria com o Hospital Vila da Serra deu in cio s atividades do Da Vinci o primeiro e nico sistema rob tico do estado considerado o que h de mais inovador no campo da cirurgia minimamente invasiva Produzido pela empresa norte americana Intuitive o rob para uso m dico demandou investimento de US 3 milh es cerca de R 10 milh es e ocupa uma sala especial do bloco cir rgico do Hospital Vila da Serra O primeiro procedimento realizado foi uma prostatectomia radical retirada da pr stata na sexta feira 16 de setembro O m dico urologista e diretor t cnico do projeto Jos Eduardo T vora foi o respons vel pela cirurgia Ele um dos profissionais mineiros j qualificados para usar o Da Vinci por meio de interc mbios com institui es de ensino norteamericanas Entre as vantagens desta nova tecnologia est a vis o tridimensional e ampliada em 12 vezes da rea o que facilita a manipula o de tecidos mais delicados e reduz os traumas decorrentes como sangramentos afirma O Da Vinci tamb m oferece melhores condi es de trabalho para os m dicos que fazem todo o procedimento assentados A m o rob tica substitui a humana com um ganho consider vel j que o rob gira em 360 graus enquanto o punho humano n o ultrapassa os 180 graus Gra as a essas vantagens o tempo da cirurgia reduzido bem como o per odo de interna o e de recupera o do paciente O m dico cirurgi o Jos Rafael Guerra Pinto Coelho o diretor geral do projeto Da Vinci Ele explica que o equipamento permite diversas aplica es para cirurgias tor cicas card acas ginecol gicas urol gica de tireoide e at mesmo neurol gicas Ele lembra tamb m que o uso em escala dessa nova t cnica vai depender da capacita o de mais m dicos um projeto considerado essencial para o Vila da Serra e a Feluma e a cobertura dos planos de sa de e do Sistema nicos de Sa de SUS Isso aconteceu quando foram lan adas a cirurgia laparosc pica e a angioplastia exemplifica Fotos Divulga o SEM COBERTURA Hoje cirurgias rob ticas n o s o cobertas por planos de sa de ou pelo Sistema nico de Sa de SUS S o procedimentos caros com custo entre R 60 mil a R 80 mil Estamos dispostos a fechar parcerias com os planos de sa de e depois abrir negocia o com o governo para que a tecnologia chegue a todos antecipa T vora Temos certeza que os procedimentos atrav s de cirurgia rob tica trar o mais seguran a aos m dicos e mais agilidade na resolu o dos atos cir rgicos comenta o presidente da Associa o Brasileira de Medicina de Grupo Abramge MG Fernando Rossi 39 REVISTA PERFIL
A medicina mineira acaba de entrar, definitivamente, no s  culo XXI. Desde o m  s de setembro, a Funda    o Educacional Lu...
PERFIL COM ARTE FERNANDO PEDRO Foto Ricardo Laf Pampulha Patrim nio Moderno da Humanidade A escolha aconteceu pelo grande valor universal de sua arquitetura moderna o seu paisagismo e um modo de vida que se mant m como o das primeiras d cadas do s culo XX Figurar nesta prestigiada lista garante Pampulha divulga o e prest gio refor o de sua identidade cultural e valoriza o do patrim nio art stico Sem d vida um incremento para o turismo local com repercuss o nacional e internacional um espa o de todos e que precisa ser visitado e preservado uma contribui o nica para a hist ria moderna mundial 40 REVISTA PERFIL Foto Ricardo Laf Caros leitores venho registrar este momento especial para a Pampulha que acaba de ser reconhecida com o T tulo de Patrim nio Mundial da UNESCO Agora Minas Gerais passa a ter quatro s tios hist ricos declarados como Patrim nio da Humanidade Ouro Preto 1980 Congonhas 1985 Diamantina 1999 e o Conjunto Moderno da Pampulha EDI O N 41
PERFIL COM ARTE  FERNANDO PEDRO  Foto Ricardo Laf  Pampulha Patrim  nio Moderno da Humanidade  A escolha aconteceu pelo gr...
Foto Ricardo Laf Todos os pr dios s o representativos o Cassino atual Museu de Arte da Pampulha MAP destaca se pela suntuosa constru o com forte refer ncia aos princ pios da arquitetura moderna proposta por Le Corbusier com a utiliza o de concreto e vidro e amplos espa os promovendo a comunica o direta entre o interno e externo Nos jardins de Roberto Burle Marx obras de grandes artistas como Alfredo Ceschiatti e Jos Alves Pedrosa A Casa do Baile destaca se por suas formas curvil neas singeleza e simplicidade inicialmente concebida para ser um lugar de bailes hoje abriga importante espa o cultural para o debate da arquitetura e design O Iate T nis Clube concebido como espa o de lazer e esporte Foi privatizado em 1960 tamb m como clube e agora precisa se readequar arquitetura original e abrir para a visita o p blica os pain is de Portinari e Burle Marx A Igreja S o Francisco de Assis popularmente conhecida como a Igrejinha da Pampulha um dos destaques do Conjunto onde se evidenciam as curvas de Oscar Niemeyer os azulejos e pain is de C ndido Portinari escultura de Alfredo Ceschiatti e pastilhas de Paulo Werneck Para concluir o circuito do Conjunto destaca se a Casa Kubistschek constru da para ser a resid ncia de fim de semana de JK destaca se pelas formas propostas por Niemeyer como o telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados Hoje a casa est aberta visita o em seus espa os internos e externos O Conjunto Moderno da Pampulha formado por cinco edif cios em torno da Lagoa da Pampulha cones da constru o moderna mundial projetados por Oscar Niemeyer e os principais artistas brasileiros do S culo XX A concep o dos edif cios visa integrar arquitetura e artes pl sticas articulando as constru es com o exuberante paisagismo em torno do lago uma obra prima da arte moderna que integra arquitetura pintura escultura azulejaria murais e o paisagismo com destaque para os fabulosos jardins de Burle Marx Inclui a Igreja S o Francisco de Assis o Cassino atual Museu de Arte da Pampulha a Casa do Baile atual Centro de Refer ncia em Urbanismo Arquitetura e Design de Belo Horizonte e o Iate Golfe Clube hoje Iate T nis Clube constru dos entre 1942 e 1943 e a resid ncia de Juscelino Kubitschek atual Casa Kubitschek esta constru da em 1943 Foto Tha ni Nogueira A Pampulha Patrim nio Moderno da Humanidade principalmente o entorno do lago um o sis dentro de Belo Horizonte com seus equipamentos culturais parques zool gico Mineir o espa o para a pr tica de caminhadas e corridas uso de bicicletas e v rias academias ao ar livre tudo em meio a muito verde Um cen rio perfeito para um passeio a qualquer momento recheado de lazer natureza gastronomia cultura hist ria e arte Fernando Pedro Historiador da Arte e Presidente da C Arte e do Instituto Arte das Am ricas Conhe a mais sobre o artista www comarte com fernandopedro comarte com 41 REVISTA PERFIL
Foto Ricardo Laf  Todos os pr  dios s  o representativos, o Cassino, atual Museu de Arte da Pampulha  MAP , destaca-se pel...
O MELHOR DO MUNDO Aroma e sabor irresist veis O Cup of Excellence um concurso que come ou a ser realizado no Brasil em 1999 e depois tamb m passou a ser organizado em v rios pa ses A competi o re ne jurados internacionais que avaliam lotes de caf s especiais produzidos nos pa ses onde organizado No Brasil concorrem amostras de caf s lavados e cerejas descascados e desde 2010 amostras caf s naturais As competi es acontecem somente com amostras de produtores de um mesmo pa s No entanto as duas maiores notas obtidas at hoje nas duas categorias em todo o mundo foram registradas no Brasil Foto Divulga o Prefer ncia nacional presente de acordo com dados do Conselho Nacional de Caf a mesa de mais de 97 dos brasileiros o tradicional cafezinho pode ser degustado nas mais variadas receitas quente ou gelado com leite chocolate cremoso ou puro E vai muito bem com quase tudo Os mineiros que o digam seja com queijo com um bolo de fub com um p ozinho quente ou com receitas mais sofisticadas ele tem seu lugar garantido nos mais diversos estabelecimentos Isso sem mencionar que uma pausa para o caf quase sempre sin nimo de um convite para uma boa conversa Alem disso consumido com modera o pode trazer in meros benef cios para a sa de Mas em termos de aroma e sabor Qual o melhor caf do mundo A resposta mais r pida com certeza o da casa da vov n o Coadores de pano e la os de fam lia parte de acordo com os jurados do concurso Cup of Excellence o melhor do caf do mundo mineiro Avaliado por jurados internacionais o atual campe o atingiu recordes na pontua o Em 2014 com 95 18 pontos foi a maior nota j obtida na competi o Em 2015 o segundo recorde 94 47 Produzido em Cristina no alto da Serra da Mantiqueira no Sul de Minas Gerais a uma altitude de cerca de 1 5 mil metros o caf chegou a ser vendido por R 9 8 mil a saca de 60 quilos Por esse valor d para imaginar a qualidade do aroma acidez e do ura desse balsamo O respons vel pela produ o Sebasti o Afonso da Silva colhe os frutos de uma experi ncia inicial de apenas 1400 p s de cafeeiros h 20 anos herdados de uma divis o familiar hoje suas em lavouras totalizam mais de 800 mil p s da mais alta qualidade 42 REVISTA PERFIL EDI O N 41
O MELHOR DO MUNDO  Aroma e sabor  irresist  veis  O Cup of Excellence    um concurso que come  ou a ser realizado no Brasi...
43 REVISTA PERFIL
43   REVISTA PERFIL
MODA Biqu ni a roupa do ver o Ele o produto exporta o mais famoso entre as brasileiras Cada vez menor em tamanho e maior quando o assunto a procura para o ver o Nessa esta o o biqu ni a bola da vez Mas nem sempre foi assim No in cio do s culo ele mais parecia um mai comprido e bem fechado Nas d cadas seguintes foi ficando mais justo e curto As mulheres come aram usar duas pe as por volta de 1930 por m elas ainda eram bem mais contidas O primeiro traje de banho como visto atualmente surgiu em 1946 e causou grande impacto na sociedade sendo condenado por autoridades religiosas e proibido em muitos pa ses inclusive no Brasil por um tempo A primeira mulher que vestiu um biqu ni foi a dan arina Micheline Bernardini que participou do desfile de lan amento na borda de uma piscina em Paris Nenhuma modelo aceitou o convite porque era uma pe a muito pequena e mostrar o umbigo era algo inaceit vel naquela poca Ainda que com uma proposta inovadora o modelo ainda era distante dos nossos tradicionais biqu nis brasileiros Nesse calor e sol tropical a pe a sofreu uma evolu o surpreendente e ganhou uma versatilidade t o grande que passou a ser fabricada em v rias formas materiais tamanhos cores e estampas 44 REVISTA REVISTA PERFIL PERFIL 44 Foto Istock Photo Esse modelo mais ousado foi criado pelo estilista franc s Louis R ard que deu o nome de biqu ni por causa dos bombardeios at micos que eram realizados naquela poca no Atol de Bikini no Oceano Pac fico Mas o efeito bomb stico t o desejado pelo estilista s veio acontecer depois que a pe a entrou para o figurino das atrizes de Hollywood EDI O N N 40 41 EDI O
MODA  Biqu  ni   a roupa do ver  o Ele    o produto exporta    o mais famoso entre as brasileiras. Cada vez menor em taman...
certo que quem ganhou com isso foram as brasileiras j que a diversidade de corpos por aqui imensa Grande tamb m o desafio das marcas que quebram a cabe a para produzir modelos que atendam todos os tipos f sicos O mercado evoluiu e h uma boa quantidade de lojas que oferecem pe as avulsas de tamanhos e formatos diferentes Ainda assim h um segmento que pode atender quem n o se sente contemplado por essa oferta As marcas que fabricam pe as sob medida prometem aumentar o grau de satisfa o com atendimento personalizado Dicas gerais Compre a pe a do seu tamanho As menores v o apertar e provocar dobrinhas indesejadas As maiores podem dar a impress o de que voc tem um tamanho al m do real Listras verticais criam um visual mais alongado e afina a silhueta Lisos escuros e com estampas menores garantem um visual equilibrado Peles mais claras comp em bem com cores mais vivas porque contrastam e real am o bronzeado Peles mais douradas ficam bem com tons ais secos em laranja amarelo ou verde menos vibrante Voc pode at n o acreditar que poss vel real ar o que tem de mais bonito e disfar ar o que n o desej vel quando se trata de uma pe a t o reduzida Mas tente experimentar essas dicas universais para voc encontrar o traje de banho e valorizar as suas curvas Barriguinha saliente Modelos de calcinhas maiores e de c s mais alto Seios grandes Top de al as mais largas e em V Quanto mais liso e sem textura melhor para n o dar mais volume Suti com aro e sem bojo tamb m uma boa op o Tente uma calcinha em tom mais chamativo para a aten o ficar na pe a de baixo Quadris largos Modelos de calcinhas mais larguinhas sem ultrapassar a tr s dedos altas e cavadas para criar uma linha de alongamento das as pernas D prefer ncia aos tons mais escuros estampas mais s brias e sem detalhes como la os e argolas nas laterais Para equilibrar escolha um suti tomara que caia ou frente nica para deixar os ombros mostra Bumbum pequeno Aproveite para calcinhas mais estreitas nas laterais com detalhes texturas bordados lacinhos de lado para criar uma ilus o de volume na regi o Os tons mais coloridos e estampas maiores ou listras horizontais tamb m s o recomendados Seios pequenos Aproveite para abusar do suti cortininha ou o estruturado com bojo franzido com amarra es brilho e detalhes como babados drapeados e bordados porque aumentam o volume Aproveite para real ar essa parte do corpo com as cores mais claras e vibrantes Foto Divulga o Sem cintura Invista no tomara que caia e calcinhas mais altas e acinturadas para criar linhas horizontais que d o impress o de uma silhueta mais curvil nea 45 REVISTA PERFIL
   certo que quem ganhou com isso foram as brasileiras, j   que a diversidade de corpos por aqui    imensa. Grande tamb  m...
BELEZA Visagismo valoriza beleza natural e revela identidade pessoal Caracterizado pela arte de customizar o visual o visagismo sintoniza imagem personalidade das pessoas 46 REVISTA PERFIL Foto Divulga o O visagismo segundo palavras de um de seus precursores Philip Hallawell a constru o da imagem que revela a identidade da pessoa colocando sua imagem em sintonia com o seu modo de vida Trocando em mi dos o trabalho do visagista criar uma imagem do que a pessoa deseja expressar atrav s de um conceito extra do ap s uma profunda an lise f sica e de personalidade Para isto o profissional precisa ter um extenso dom nio da linguagem visual al m de entender sobre t cnicas de corte colora o e maquiagem O visagista consegue identificar atrav s de uma profunda an lise de tra os da personalidade suas atividades pessoais profissionais necessidades entre outros e caracter sticas f sicas formato do rosto tom de pele propor o das fei es o temperamento peculiar que faz cada pessoa nica Realizada essa consultoria ele oferece solu es harm nicas que se adaptam ao estilo e singularidade de cada um conta Camila Rabelo visagista A profissional ainda diz que a satisfa o dos clientes surpreendente pois s a sensibilidade de um profissional como EDI O N 41
BELEZA  Visagismo  valoriza beleza natural e revela  identidade pessoal Caracterizado pela arte de customizar o visual, o ...
o visagista capaz de captar a percep o que cada um tem de si e criar de forma consciente e direcionada a imagem que se deseja passar Muitas pessoas entre homens e mulheres v o ao sal o desejando cortes e ou colora es id nticas a pessoas do showbiz mas como de se esperar o resultado raramente fica bom pois o que fica bom em determinada pessoa pode n o ficar em outra afirma Camila a que entra o profissional do visagismo ele ajuda o cliente a chegar a um resultado final satisfat rio de acordo com a sua estrutura f sica e personalidade Ela ainda afirma que de suma import ncia saber aplicar as tend ncias em cada pessoa norteando a sobre as adapta es que devem ser feitas em cima da moda Um exemplo claro disso s o mulheres morenas que chegam ao sal o querendo fazer um ruivo da moda Ao fazer isto sem a consultoria do visagismo elas podem n o se adaptar ou at mesmo n o se reconhecer no espelho ap s uma mudan a t o brusca O ideal a pessoa se apropriar das melhores tend ncias diante do seu pr prio estilo O autoconhecimento ajuda a fazer escolhas certas sobre o que funciona e o que n o funciona para si 47 REVISTA PERFIL
o visagista    capaz de captar a percep    o que cada um tem de si e criar, de forma consciente e direcionada, a imagem qu...
Uma nova ajuda para O QUE A fun o do bal o intrag strico ocupar espa o dentro do est mago induzindo o paciente a ingerir uma quantidade menor de alimentos trazendo uma sensa o de saciedade precoce COMO FUNCIONA CUIDADOS P S PROCEDIMENTO EFEITO ESPERADO O procedimento feito como uma endoscopia convencional ou seja n o h cortes ou necessidade de interna o 2 2 Na endoscopia os m dicos aplicam um sedativo intravenoso leve e um spray anest sico na garganta para dar maior conforto ao paciente 3 Assim que os sedativos fazem efeito o endosc pio inserido para veri ca o do es fago est mago e duodeno 4 N o havendo altera es o m dico endoscopista retira o gastrosc pio e introduz o bal o vazio pela boca do paciente Quando chega ao est mago ele ent o preenchido com soro e corante azul num volume de at 700 ml 5 No Brasil s o aprovados dois tipos de bal es intrag stricos um para perman ncia de at 06 meses e outro para perman ncia de at 12 meses sendo que este ltimo pode ter o seu volume ajustado durante o per odo do seu uso Ambos est o dispon veis na Cl nica Sander TEMPO DE DURA O O procedimento dura em m dia de 20 a 30 minutos CONTRAINDICA ES Pacientes que j passaram por algum tipo de cirurgia no est mago ou no es fago Pacientes com lcera em atividade ou com h rnia de hiato de grande tamanho Gestantes PREPARO AO PROCEDIMENTO Nos primeiros dias logo ap s o procedimento o paciente deve fazer uso de dieta l quida seguida de dieta pastosa e posteriormente reintroduzir a dieta s lida fundamental o acompanhamento da equipe multidisciplinar m dico nutricionista e psic logo associado pr tica de exerc cios f sicos para que os resultados sejam mais satisfat rios OUTROS TRATAMENTOS PARA PERDA DE PESO PLASMA DE ARG NIO Para os pacientes que j zeram a cirurgia bari trica redu o de est mago e voltaram a ganhar peso a Cl nica Sander disponibiliza o tratamento endosc pico com Plasma de Arg nio sem a necessidade de uma nova interven o cir rgica Conhe a o Especialista O Dr Bruno Sander graduado em medicina pela UFMG com t tulo de especialista em endoscopia e membro titular da Sociedade Brasileira de Endoscopia SOBED P s graduado em endoscopia terap utica no Hospital S rio Liban s de SP e em gastroenterologia tamb m especialista em cirurgia geral Membro internacional da Association for Bariatric Endoscopy ABE American Society for Gastrointestinal Endoscopy ASGE American Gastroenterological Association AGA e United European Gastroenterology UEG Atua h v rios anos com procedimentos endosc picos para perda de peso e tem diversos trabalhos apresentados em congressos internacionais sendo o nico m dico brasileiro premiado com o National Scholar Award em Viena 2014 e o seu trabalho mais recente sobre bal o intrag strico foi agraciado com o Travel Grant em Barcelona em 2015 Como realizado por endoscopia o procedimento n o exige exames complexos antes de ser realizado A orienta o a mesma da endoscopia diagn stica jejum durante as 08 horas anteriores ao procedimento Diretor t cnico CRM MG 41490 RQE 32354 1 INDICA ES Pacientes com ndice de Massa Corporal IMC acima de 27kg m sobrepeso ou obesidade e que j tenham tentado outros m todos de emagrecimento sem resultados satisfat rios Pacientes com elevado n vel de obesidade que precisam eliminar peso e reduzir seu risco cir rgico antes de se submeterem cirurgia bari trica ou a outra cirurgia Pacientes obesos que precisam perder peso para controlar problemas de sa de que s o agravados com a obesidade ex hipertens o diabetes problemas articulares apn ia do sono O BAL O INTRAG STRICO um dispositivo de silicone preenchido com soro siol gico e corante azul de metileno colocado no est mago por endoscopia com seda o leve sem cortes ou interna o VANTAGENS Procedimento revers vel Sem necessidade de cirurgia Sem necessidade de interna o hospitalar Indicado para pacientes com IMC a partir de 27Kg m2 Sobrepeso e Obesidade 48 REVISTA PERFIL EDI O N 41
Uma nova ajuda para O QUE      A fun    o do bal  o intrag  strico    ocupar espa  o dentro do est  mago induzindo o pacie...
Nada mais sedutor do que um olhar marcante Nada mais inovador do que o alongamento de c lios hora de abandonar os c lios posti os o r mel e at o curvex Chegou uma grande novidade que Magda Carvalho trouxe dos Estados Unidos para voc Agora para conquistar um olhar marcante e sedutor basta fazer a extens o de c lios fio a fio a t cnica mais moderna dispon vel no mercado que j conquistou clientes famosas como a ex Miss Brasil Mundo Luciana Bertolini Pr tico e indolor o alongamento n o prejudica os c lios naturais como as t cnicas anteriores tem durabilidade m dia de um m s e traz um resultado incr vel O tamanho pode variar de acordo com a sua escolha Venha conhecer o alongamento fio a fio e realce o que Foto by N lio Rodrigues voc tem de mais expressivo e sedutor seu olhar magda_carvalho 31 99737 8394 Alongamento de c lios fio a fio conquiste pelo olhar Magda Carvalho e uma cliente feliz a Miss Brasil Mundo LucianaPERFIL Bertolini 49 REVISTA
Nada mais sedutor do que um olhar marcante. Nada mais inovador do que o alongamento de c  lios.    hora de abandonar os c ...
SOLIDARIEDADE BELO HORIZONTE GANHA MAIS UMA BIBLIOTECA ABERTA AO P BLICO Foto Jomar Bragan a Funda o Torino Escola Internacional e Casa Fiat de Cultura abrem para o grande p blico a Biblioteca Dante Alighieri no Belvedere 50 REVISTA PERFIL EDI O N 41
SOLIDARIEDADE  BELO HORIZONTE GANHA MAIS UMA  BIBLIOTECA  ABERTA AO P  BLICO  Foto Jomar Bragan  a  Funda    o Torino Esco...
A comunidade de Belo Horizonte e regi o conta agora com mais uma biblioteca a Dante Alighieri Pertencente Funda o Torino Escola Internacional a biblioteca passou a oferecer seus servi os para o grande p blico de forma gratuita a partir do pr ximo dia 6 de outubro O acervo composto por obras em italiano portugu s ingl s franc s e espanhol estar dispon vel comunidade para empr stimos e consultas no pr prio espa o instalado na Escola no bairro Belvedere Essa iniciativa uma parceria da Funda o Torino Escola Internacional com a Casa Fiat de Cultura que doou v rias obras para o acervo e ainda manter em suas depend ncias na Pra a da Liberdade um totem para consulta e reservas dos t tulos dispon veis Ambas as institui es acreditam que a biblioteca n o pode ser um grande armaz m de livros e sim um polo de conhecimento compartilhado Partindo dessa premissa que a parceria entre a Funda o Torino Escola Internacional e a Casa Fiat de Cultura busca aproximar o grande p blico dos servi os da biblioteca Cl ssicos de escritores de fama mundial como Dostoi vski William Shakespeare e Jorge Amado est o dispon veis em mais de um idioma na Biblioteca O acervo conta ainda com exemplares de cat logos de 18 exposi es realizadas na Casa Fiat de Cultura Rodin Chagall Guignard Caravaggio s o alguns dos artistas que t m seus trabalhos registrados nestes cat logos Buscamos por meio dessa parceria tornar mais acess vel o conhecimento e contribuir para a cultura geral da comunidade onde estamos inseridos Queremos que os moradores se apropriem dessa oportunidade e vejam a biblioteca como um espa o de escolha de leituras um lugar para desvendar um mundo ressalta o presidente da Casa Fiat de Cultura Jos Eduardo de Lima Pereira Este mais um dos projetos associados realizados pelas duas institui es A Funda o Torino Escola Internacional e a Casa Fiat de Cultura tamb m apresentam o Quartas Italianas e o Ciclo de Confer ncias Divinas Conversas Fotos Aur lio Sena A Dante Alighieri foi pensada para n o ser apenas capaz de abrigar os livros mas de propiciar rituais agrad veis de leitura al m de promover o gosto pelas hist rias e ampliar o repert rio dos usu rios de seu acervo A biblioteca busca estabelecer o necess rio di logo entre tradi o e modernidade No espa o s o oferecidas salas de estudos individual e coletivo e as obras s o organizadas utilizando c digo de cores proporcionando melhor visualiza o e f cil localiza o Essa nova parceria entre as institui es cumpre um importante papel social porque afinal vemos a biblioteca p blica como porta de entrada para o conhecimento Sua fun o de fomentar a leitura e a cultura ir contribuir para a gera o de conhecimento e favorecer a cidadania Al m disso nesse interc mbio de expertises entre as duas institui es ser o desenvolvidas posteriormente atividades liter rias abertas ao p blico conta a diretora geral da Funda o Torino M rcia Naves 51 REVISTA PERFIL
A comunidade de Belo Horizonte e regi  o conta agora com mais uma biblioteca  a Dante Alighieri. Pertencente    Funda    o...
GENTE Um doce de m e Talento bom gosto inova o empreendedorismo e uma boa dose de supera o fazem da Bolo Gourmet muito mais que uma Boloteria uma declara o de amor Fotos Andr Solano Uma paix o de inf ncia e amor de m e Esses foram os principais ingredientes que fizeram Juliana Macedo Soares Nascimento idealizar a Bolo Gourmet uma tradi o de fam lia Desde minha av Noemia que sempre gostou de criar receitas Que passou para minha m e que me ensinou o seu talento afirma Juliana Cozinhar pra mim quase uma terapia Sou daquelas que quando est estressada vai assar bolo ou ent o fazer uma daquelas receitas bem dif ceis Para mim comida declara o de amor tamb m completa Mas apesar de estar sempre envolvida com a cozinha ela nunca tinha se imaginado como profissional j que sempre atuou na rea financeira Casada e m e de tr s filhos Gabriel 21 Maria Eduarda 8 e Ana Julia 4 ela conta que tinha o dom mas n o tinha a t cnica Hist ria que come ou a mudar h um ano e meio Foi quando seu filho Gabriel autista acompanhado pela Funda o de Atendimento Especializado de Nova Lima Faenol h mais de 10 anos trouxe para casa um bilhete para inscri o no Confeito de M e O curso oferecido pela AngloGold em parceria com a institui o voltado para as m es dos alunos e mudou a vida de Juliana e de muitas outras m es Apesar da minha paix o pela culin ria o que me motivou a fazer o curso foi o meu desejo de 52 REVISTA PERFIL EDI O N 41
GENTE  Um doce de m  e  Talento, bom gosto, inova    o, empreendedorismo e uma boa dose de supera    o  fazem da Bolo Gour...
ficar mais perto do Gabriel uma vez que o curso seria realizado na mesma unidade onde ele atendido E claro a possibilidade de conviver com outras m es que passam pelo mesmo que eu No decorrer do curso vi muitas m es interromperem as atividades para oferecer a refei o aos seus filhos e ajudar com outras crian as Muitas delas frequentam as oficinas da Faenol continuamente o que uma forma de estarem sempre ao lado dos filhos especiais Foi uma experi ncia muito rica Muito mais do que novas receitas ou t cnicas o que mais aprendi nesse m s e meio foi sobretudo respeitar aquelas m es que s o verdadeiras artistas talentos ssimas mas que muitas vezes abrem m o da vida para cuidar dos filhos De acordo com ela no final do curso as pessoas mais pr ximas j percebiam a diferen a no sabor e apresenta o de seus doces e bolos cada vez mais bonitos e saborosos E come aram a incentivar que a empres ria fizesse da atividade um novo neg cio Juliana continuou a se especializar frequentando diversos cursos e iniciando pesquisas de mercado para o novo neg cio A partir da o talento nato o amor de m e e o apoio e parceria do marido Eduardo Carvalho Nascimento foram os ingredientes b sicos para a receita de sucesso da nova empresa Juntos e contando com a orienta o da nutricionista C ssia Nascimento Juliana e Eduardo desenvolveram linhas de produtos diferentes a primeira s o receitas caseiras mas com um toque gourmet um diferencial sofisticado e inusitado em cada receita receitas artesanais bolos gelados e bolos salgados E outra linha para clientes com restri o s o receitas diet sem gl ten ou lactose 53 REVISTA PERFIL
ficar mais perto do Gabriel, uma vez que o curso seria realizado na mesma unidade onde ele    atendido. E, claro, a possib...
ECO CARLOS EDUARDO ORSINI Um novo cen rio para a Serra do Curral A Serra do Curral s mbolo natural de Belo Horizonte at mesmo quando da constitui o da capital de nosso estado sempre foi visada por diversas a es que de certa forma a colocam numa situa o de completa vulnerabilidade S mbolo da beleza que atraiu a hist rica Fazenda Curral Del Rey ao amanhecer desponta se num brilhantismo dourado e ao entardecer de suas encostas contempla se o verdadeiro belo horizonte do Mina de guas Claras bem no topo da Serra nas encostas de Nova Lima Esta cava da qual foram extra das aproximadamente 450 milh es de toneladas de min rio de min rio de ferro gerou divisas para o Brasil e representa hoje um ativo ambiental comum fant stico reservat rio estrat gico de gua para toda a Regi o Metropolitana de Belo Horizonte mais de 65 bilh es de litros Deposit ria de recursos naturais importantes como min rio de ferro dolomita e at ouro em suas entranhas foi cortejada por muitos empreendedores a come ar por mineradores como foi o caso da pr pria Prefeitura de Belo Horizonte que criou a Minera o Ferrobel nas Mangabeiras A expans o urbana da capital foi gradativamente varrendo as encostas da serra De um lado a implanta o do bairro Mangabeiras tendo como cone o pr prio Pal cio que passou a ser a resid ncia oficial dos governadores que sucederam o ex governador Juscelino Kubistcheck e de outro a expans o incr vel da antiga Favela da Serra Cafezal e hoje o pr prio Conglomerado da Serra Depois foi a Minera o Acaba Mundo pela Magnesita na lavra de dolomita para o insumo de f brica de refrat rios de Contagem e j na d cada de 70 a MBR com um projeto grandioso denomina necess rio redesenhar a Serra do Curral criando o seu corredor ecol gico unindo reas de minera o que poder o ser transformadas em parques como usualmente feito em outros pa ses Engenheiro de Minas e Metalurgia ex Secret rio de Assuntos Internacionais de MG e ex Presidente do INDI Diretor Executivo da YKS Servi os Ltda 54 REVISTA PERFIL EDI O N 41
ECO  CARLOS EDUARDO ORSINI  Um novo cen  rio para a Serra do Curral A Serra do Curral s  mbolo natural de Belo Horizonte a...
55 REVISTA PERFIL
55   REVISTA PERFIL
56 REVISTA PERFIL EDI O N 41
56   REVISTA PERFIL  EDI    O N   41