ÍNDICE DESTA EDIÇÃO 1. TOME O QUE É SEU – J Hunter 2. BÁLSAMO DE DEUS – Octavius Winslow 3. TUDO EM CRISTO – F B Meyer 4. O MAIOR PECADO – Selecionado 5. NAS MÃOS DO OURIVES – Selecionado 6. BENDITO SEJA – Henri Rossier 7. A ARCA FLUTUARIA – Selecionado 8. SEMPRE JUNTO À FONTE – C H Spurgeon 9. SOMOS FEITURA DELE – F B Meyer 10. ELE ESTÁ CONOSCO – Arch Campbell
  NDICE DESTA EDI    O 1. TOME O QUE    SEU     J Hunter 2. B  LSAMO DE DEUS     Octavius Winslow 3. TUDO EM CRISTO     F ...
TOME O QUE É SEU “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16) “Seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade” (2 Pe 1:3) Tudo o que possuímos e experimentamos na vida cristã é dádiva do amor de Deus. Ora, qual é a atitude que honra o ato de dar? É receber. Como é que eu experimento o amor de Deus? Respondendo ao Seu ato de dar. Quando eu vim a Deus como pecador e percebi que ele estava me oferecendo perdão, recebi tomei para mim - essa dádiva oferecida gratuitamente. E porque a recebi, gozei a bênção do perdão dos pecados e tive paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Esta é uma das verdades básicas da fé evangélica. Deus está oferecendo tudo de que eu preciso em cada esfera da experiência cristã. Não só está dando aquilo que faz de mim um crente, como está dando também, mo- mento por momento, aquilo que me capacita a viver a vida cristã. Em 2 Pedro 2:1-3, lemos que o “seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade...” Deus já me deu todas as coisas – não algumas só – todas as coisas de que preciso para a vida e piedade. Em outras palavras, se quero portar-me como santo, tenho tudo o que é necessário. Não em mim mesmo. Isso não é possível. Deus não espera nada de mim, pois eu sou carne. Deus quer que eu me sirva da Sua plena salvação. E a salvação de Deus não está em uma coisa ou experiência, mas em uma Pessoa – o Seu Filho. Tenho conversado com crentes que têm estado abatidos, suplicando e pedindo paz em seus corações. Tem sido maravilhoso poder mostrar-lhes que não é preciso pedir uma dádiva que já está sendo oferecida. Nós simplesmente recebemos – tomamos para nós – o que nos está sendo oferecido, e dizemos “obrigado”. Obrigado, Pai, por uma tão grande salvação. Graças Te
dou pelo Senhor Jesus, que morreu por mim, para que eu tenha o perdão dos pecados. Graças Te dou porque Ele vive em mim pelo Teu Espírito Santo. Muito obrigado, meu Salvador, porque Tu és a minha paz. Tu és a minha alegria. Tu és a minha força. Tu és tudo de que eu preciso e tudo o que eu anseio. Tu prometeste nunca me deixar. Graças Te dou porque as Tuas promessas nunca falham. Quem sabe se Deus falou ao seu coração durante a leitura destas linhas. Você já recebeu o Senhor Jesus como o seu Salvador pessoal. É aí que nós começamos – ao pé da cruz, confessando o nosso pecado, arrependendo-se dele, e recebendo a Jesus Cristo em nosso coração e vida como o nosso Salvador. Sim, quem sabe se você já é crente, mas está experimentando fracasso e frustração na vida cristã. Pois venha a Deus com as suas mãos vazias, e receba – tome para si – o que Ele deu para toda a sua necessidade. A resposta de Deus é Cristo, para que por Ele possamos viver, momento por momento e hora por hora. J Hunter BÁLSAMO DE DEUS “Porventura não há bálsamo em Gileade? Ou não há lá médico? Por quê, pois, não teve lugar a cura da filha do meu povo? (Jr 8:22) “Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. (Mt 11:28) “Aquele consolador, o Espírito Santo”. (Jo 14:26) A grande provisão para o estado de sofrimento do crente é o Espírito Santo, o especial, pessoal e permanente Consolador da Igreja. Em tempos de profunda prova e aflição, o Espírito particularmente Se mostra como o Consolador de Seu povo. Foi em circunstâncias de aguda e particular provação que Jesus prometeu o Espírito como Consolador. Mas Ele não está limitado a nenhum tipo especial de provação. Tudo o que causa depressão ao crente, que traz dor ao seu coração, fe-
dou pelo Senhor Jesus, que morreu por mim, para que eu tenha o perd  o dos pecados. Gra  as Te dou porque Ele vive em mim ...
re seu espírito ou o abate, é uma provação. Se é apenas um olhar frio de olhos que uma vez refletiram amor, é ainda uma provação. Se é uma palavra dura de língua que outrora derramou afeto, é também uma provação; e quanto mais sensível, mais a alma sente a prova. E como é que Ele conforta a alma afligida? Ele lhe mostra o amor de seu Deus e Pai na aflição; Ele a conforta, revelando-lhe o propósito pelo qual a aflição foi enviada; mas a maneira em que o Espírito mais eficazmente traz conforto à alma provada, tentada e afligida é mostrando-lhe a ternura e compaixão de Jesus. Ele testifica de Cristo especialmente na compaixão da Sua humanidade. Não há dúvida que, assumindo a nossa natureza, o Senhor Jesus tinha em vista, como fim importante, uma afinidade mais intima com o estado de sofrimento de Seu povo, visando à sua mais imediata consolação e amparo. Sabemos que o grande objetivo da Sua encarnação foi obedecer à lei e sofrer pelo homem o casti- go de sua desobediência. Mas ligado a isto e resultando disto está o Seu ministério de ternura e simpatia, do qual os santos de Deus tanto precisam e tanto recebem. Jesus é "o irmão" que nos "nasce na angústia" - "convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote" - "naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados" - "não temos um sumo sacerdote que não possa compadecerse das nossas fraquezas, porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado." Aqui está a verdadeira e bendita fonte de consolação na hora e nas circunstâncias de dor. O povo do Senhor é um povo provado. Jesus foi um Salvador provado. O povo do Senhor é um povo afligido; Jesus bebeu profundamente do amargo cálice da aflição. O povo do Senhor é uma família que sofre; Jesus foi "homem de dores e que sabe o que é padecer”. Ele desceu ao nível das circunstâncias do Seu povo. Ele se identificou
re seu esp  rito ou o abate,    uma prova    o. Se    apenas um olhar frio de olhos que uma vez refletiram amor,    ainda ...
com eles. Não é, contudo, para pensarmos que em cada peculiaridade de provação há uma identidade com nosso amado Senhor. Há provas que resultam de circunstâncias e relações particulares da vida, pelas quais Ele não passou. Mas Jesus tomou sobre Si a pura humanidade em sua forma sofredora, e conheceu o que era a dor como dor; e por causa disto Ele Se tornou adequado em todos os pontos para socorrer, para sustentar e para compadecer-Se de Seu povo aflito e sofredor, qualquer que seja a causa dessa aflição ou dor. Basta para nós saber que Ele “é osso de nossos ossos e carne de nossa carne”. Basta para nós saber que o Seu coração era composto de toda a ternura, compaixão e suavidade, livre de tudo o que vem de pecado e que enfraquece, prejudica e embota a sensibilidade. Basta para nós saber que a dor não foi estranha ao Seu coração e que aflição rasgouLhe fundamente a alma. De que mais precisamos? Que mais podemos pedir? Nossa natureza - Ele a assumiu. Nossas enfermidades - Ele as tomou sobre Si. Nossas dores - Ele as sentiu. Nossas cruzes - Ele as carregou. Nossos pecados - Ele os perdoou. Ele foi adiante de Seu povo sofredor, palmilhou o caminho e deixou ali as Suas pisadas. E lembre-se sempre que Jesus tem tanta ternura e compreensão para com as alegrias como para com as tristezas de Seu povo. Ele Se alegra com os que se alegram e chora com os que choram. Não no sentido em que alguns o supõem, de que quando choramos, Ele realmente chora ou de que quando sofremos, Ele realmente sofre. Isto foi assim uma vez, mas agora não O conhecemos mais segundo a carne, como quando esteve neste mundo. No entanto, há ainda um sentido em que Jesus sente compaixão. Quando o crente sofre, a ternura de Jesus se derrama. Sua força sustentadora, Sua graça santificante e Seu amor consolador se desdobram na experiência daquele Seu filho que está passando pela fornalha. O Filho de Deus está com ele
com eles. N  o   , contudo, para pensarmos que em cada peculiaridade de prova    o h   uma identidade com nosso amado Senh...
nas chamas. Jesus de Nazaré está andando com ele sobre as ondas, - ele tem consigo o coração de Cristo. E isto é compaixão, isto é comunhão. Que dor é a sua? Foi a mão da morte que desceu? O ente querido lhe foi tirado? Aquele a quem você amava lhe foi arrebatado num momento? Mas quem foi que fez isso? Foi Jesus. A morte foi apenas Seu mensageiro. O seu Jesus foi quem fez isso, o Senhor o tomou. E o que foi que o Senhor tomou? Sua esposa? Ah, Jesus tem toda a ternura que sua esposa teve. A dela foi apenas uma gota do oceano que está no coração dEle. Foi o seu marido? Jesus lhe é melhor que dez maridos. Foi seu pai, ou mãe, seu filhinho, seu amigo, foi tudo o que era para você o bem na terra? Estão secas todas as suas fontes? Jesus ainda é suficiente. Leve-lhe o seu coração enlutado, ferido e sangrando e descanse no dEle, que urna vez esteve também enlutado, ferido e sangrando; pois Ele sabe como ligar o coração partido, como sarar o espírito ferido e como consolar os que estão tristes. Que dor é a sua? Foi a saúde, que falhou? Foram os seus bens, que ruíram? Foram os amigos, que o deixaram? Você está provado em suas circunstâncias? Perplexo em seu caminho? Está prevendo a aproximação de dias escuros? Está andando em trevas, sem luz nenhuma? Simplesmente vá a Jesus. Ele é sempre uma porta aberta. Um amigo terno, amoroso, fiel, sempre perto. Sua graça e compreensão são suficientes para você. A vida que você é chamado a viver é a vida de fé; depender dos sentimentos você já viu que não dá certo. Nós temos que andar por fé, e não por vista. E aqui está o segredo de uma vida de fé: apoiar-se em Jesus diariamente; ir a Ele em cada angústia; lançar sobre Ele cada fardo; levar a fraqueza, a falha, a cruz que se apresenta, simplesmente e imediatamente a Jesus. Olhe para Cristo: como o seu Exemplo; como a Fonte em que se lavar; como o Fundamento sobre quem edificar; como a Plenitude da qual se suprir; como o seu compreensivo
nas chamas. Jesus de Nazar   est   andando com ele sobre as ondas, - ele tem consigo o cora    o de Cristo. E isto    comp...
Irmão e Amigo, a quem você pode ir em todo tempo e em todas as circunstâncias. Fazer isso diariamente constitui a vida de fé. "Não há bálsamo em Gileade? ou não há lá médico?" Sim, há! O médico é Jesus, o bálsamo é Seu precioso sangue. Decida a sua questão, chegando-se imediatamente a Jesus. Todas as coisas estão preparadas. Octavius Winslow TUDO EM CRISTO “O Senhor teu Deus te introduz numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes e de mananciais profundos, que manam dos vales e das montanhas; Terra em que comerás pão sem escassez, e nada te faltará nela”...(Dt 8:7,9) Canaã é Cristo, Ele é a terra prometida. Aquelas montanhas são a Sua força. Aqueles vales são a Sua humildade e mansidão. Aquelas fontes são o gozo que há nEle. Aqueles rios são o Seu Santo Espírito. Aqueles tesouros são as Suas riquezas. Contemple a terra prometida! – ela é toda sua. É Cristo em você e você em Cristo – isso é paraíso. Isto se prova por Hebreus 3:14: “Porque nos temos tornado participantes de Cristo...” Os capítulos 3 e 4 de Hebreus falam respectivamente da experiência do povo de Israel no deserto e da posse de Cristo. E o apóstolo nos diz que nós, os que cremos, fomos feitos participantes de Cristo. Contemple o que Cristo é. Olhe 1 Co 2:12: “Para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus”. Deus pôs em Jesus Cristo tudo de que a sua alma pode precisar. E lhe diz: Vá e tome, está tudo ali para você. Ele “nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo”, (Ef 1:3) Você está em tempos de tristeza? Há doce alegria em Cristo. Está tentado? O socorro está em Cristo. Você está no fim das suas forças? Há poder em Jesus. Mas para que
Irm  o e Amigo, a quem voc   pode ir em todo tempo e em todas as circunst  ncias. Fazer isso diariamente constitui a vida ...
ninguém pense que Deus nos dá isto ou aquilo à parte de Cristo, quero me expressar mais corretamente: Cristo mesmo é tudo de que precisamos. Ele mesmo é o suprimento para cada uma dessas necessidades. Tudo de que precisamos está em Cristo; assim, é uma coisa boa termos necessidades, a fim de conhecermos a Cristo e o que está nEle para nós. Receba. Você sabe como receber? Comece a tomar para si. O Senhor Jesus nos ama. Ele esta sempre conosco. Eu não falo tanto da cruz, mas de Jesus, que foi crucificado. Não falo tanto da ascensão, mas de Jesus, que subiu ao Céu. Não é santidade, mas Jesus, o santo. Não é mansidão, mas Jesus, o manso. Não é pureza, mas Jesus, o puro. Jesus! Não uma coisa, não uma experiência, não emoção, não fé, mas Jesus. Você tem estado ansioso a respeito da sua fé? Não esteja! Não pense na sua fé, pense em Jesus. E você terá fé sem o perceber. Tem estado ansioso sobre o que sente ou deixa de sentir? Não esteja. As emoções so- bem e descem como o barômetro. Deixe isso de lado e simplesmente ande na presença de Jesus. Alma, você e Jesus estão sentados face a face. Dê todo o seu ser a Ele, e Ele lhe dá todo o Seu ser. Vá à sua despensa vazia, vá a seu filho enfermo, vá às cenas de aflição, tristeza e dor Ele vai com você. A fonte está à mão. Você não precisa tomar um cântaro e ir a alguma fonte distante. Você tem Jesus habitando em seu coração, - uma fonte que salta para a vida eterna. Ó alma, como você é rica! Espírito de Deus, toma das coisas de Cristo e revela-as a cada coração que espera. F B Meyer O MAIOR PECADO Uma das crenças mais populares é de que o maior pecado é matar. Ou será o adultério, a fornicação, a embriaguez, o roubo, a blasfêmia? Na verdade todos são grandes pecados, mas há um pecado maior do que todos esses – um pecado que implica em
ningu  m pense que Deus nos d   isto ou aquilo    parte de Cristo, quero me expressar mais corretamente  Cristo mesmo    t...
condenação eterna – que destinará a alma do pecador para um lugar de trevas, choro e ranger de dentes por toda a eternidade futura. Você sabia que este grande pecado é o mais comum no mundo atual? Talvez não tenha nunca pensado sobre isso e provavelmente nem saiba que pecado é esse. Vamos abrir a Bíblia Sagrada e ver o que Deus diz ser o maior pecado da humanidade. Em João 16:8-9 lemos as palavras do próprio Senhor Jesus: “Quando ele (o Espírito Santo) vier convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado porque não creem em mim”. Assim Deus está dizendo a todos, homens e mulheres, que o maior pecado do mundo é não crerem em Cristo Jesus como Salvador. Deus quer perdoar todos os pecados, mas se homens e mulheres continuarem rejeitando a Cristo Jesus, nosso único e maravilhoso Redentor, este pecado os condenarão à perdição eterna. O que você tem feito a respeito de Jesus Cristo? Se você confiou em Cristo como Salva- dor, você tem a vida eterna. “Estas coisas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”. (I João 5:13) Se você não confia em Cristo, perante Deus você está cometendo o maior pecado. Não persista no erro da maioria dos homens do mundo. Eles tem crido sobre (não em) Jesus, são religiosos meramente no sentido de trocar a Salvação, oferecida graciosamente mediante o sacrifício eficaz do Senhor Jesus na cruz, por cultura, boas obras e moralidade. Mas repetimos para enfatizar que a Salvação só é alcançada mediante a fé em Cristo Jesus como Salvador pessoal. Deus mandou seu Filho ao mundo e na cruz do Calvário O julgou e O crucificou pelos nossos pecados, os meus e os seus. Em Isaias 53:5 nós lemos: “Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele e pelas suas pisaduras fomos
condena    o eterna     que destinar   a alma do pecador para um lugar de trevas, choro e ranger de dentes por toda a eter...
sarados”. Deus tomou todos os pecados do mundo – passados, presentes e futuros – e julgou seu Filho Jesus Cristo por eles. Não é de admirar-se que quando não se crê em Cristo, Deus nada mais tenha a oferecer aos pecadores, a não ser justiça e juízo consumados na condenação eterna. Deus nos deu o melhor que ele tinha – o Seu próprio Filho – para ser julgado em nosso lugar e morrer pelos nossos pecados. Quem rejeitá-Lo continuará culpado do pecado que não tem perdão (incredulidade) e levará o pecador à condenação eterna. Na Bíblia lemos: “Por isso quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia se mantem rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus”. (João 3:36) “Como escaparemos nós se negligenciarmos tão grande salvação?” (Hebreus 2:3) “Qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?” (I Pedro 4:17) Portanto, meu amigo, feche os seus olhos e abra o coração agora mesmo e ore desta forma ao Senhor Jesus: “Senhor, confesso que sou um pecador, mas agora sei que Tu és o meu Redentor e creio que Tu morrestes por mim e pelos meus pecados. Sim, Senhor Jesus, eu O aceito como meu único e pessoal Salvador. Amem”. Selecionado NAS MÃOS DO OURIVES “E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...” (Ml 3:3) Há tempos, em certo lugar, umas senhoras se reuniram para comunhão em torno das Escrituras. Ao lerem o capítulo 3 de Malaquias, chamou-lhes a atenção o verso três: “E assentarse-á como fundidor e purificador de prata...” O parecer de uma delas foi que a passagem estaria se referindo à obra santificadora da graça de Cristo. Então propôs-se visitar um ourives e trazer às amigas
sarados   . Deus tomou todos os pecados do mundo     passados, presentes e futuros     e julgou seu Filho Jesus Cristo por...
as informações colhidas. Ela foi, como planejado. Sem dizer a razão de sua curiosidade, pediu ao ourives para lhe explicar o processo de purificação da prata. Ele a atendeu prontamente, com toda a explicação. “E o senhor fica sentado perto, enquanto se desenrola o processo”? perguntou ela. “Sim, minha senhora”, respondeu ele, “preciso estar muito atento, com os olhos fixos no cadinho; pois se o calor passar do ponto, a prata será danificada.” Aquela senhora viu imediatamente o conforto e beleza contidos no texto: “E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...” Cristo vê a necessidade de colocar os Seus amados “na fornalha da aflição”. Mas Seus olhos estão atentos no processo, e Seu amor e sabedoria estão empenhados ali. As nossas provações não surgem ao acaso: “... até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados”. Quando a senhora se retirava, o ourives a chamou tinha se esquecido de mencionar um detalhe: “Eu sei que o pro- cesso está completo”, disse ele, “quando vejo a minha imagem refletida na prata”. Selecionado B E N D I T O S E J A! Efésios 1: 3-15 - I Pedro 1: 3-6 - 2 Coríntios 1: 3-6 Nas três passagens acima, notamos a frase: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”. Há nela uma expressão de louvor e ação de graças, que se dirige ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo; e esse louvor sobe diante de Deus nas circunstâncias as mais diversas. A alma, nossa alma, acha, em cada uma delas, ocasião para nos prostramos diante do Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo! Ocasião para um louvor que sobe dos nossos corações, para celebrar o amor do Pai que nos deu Jesus e que nos colocou em contato com Ele. Quando pensamos nesses laços que Deus estabeleceu entre nós e Seu Filho Jesus, nós não temos, não podemos ter
as informa    es colhidas. Ela foi, como planejado. Sem dizer a raz  o de sua curiosidade, pediu ao ourives para lhe expli...
em nossos lábios outra expressão que esta: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”! O Espírito de Deus nos coloca nas posições mais diversas. A posição do crente neste mundo não é sempre a mesma, como podemos ver nessas três passagens. O primeiro capítulo da carta aos Efésios nos introduz no céu. Parece até que para o crente a terra não existe; quando lemos aí os primeiros versículos, encontramo-nos fora da terra, após termos sido resgatados pelo sangue de Cristo, e imediatamente transportados para o céu; nós nos encontramos mesmo onde Se encontra o nosso Salvador – Ele está á direita de Deus, todas as coisas Lhe estão sujeitas; Ele está ressurreto, deixou esta cena de sofrimento e de misérias. Ele conheceu o sofrimento como nós jamais o conhecemos e jamais conheceremos. Ele está agora à direita de Deus, e como Ele está ali, ali nós estamos juntamente. Ele vai ser herdeiro de todas as coisas, foi colocado por Deus no centro de todas as bênçãos e de todas as glórias. Ele já as possui, Ele é celeste; e nós somos celestes. Deus vai pôr tudo em Suas mãos. Deus vai estabelecê-lo acima de tudo, e nós estamos com Ele. Quando se percebe o que é estar nesse mund0 dos seres celestes, o que é ter a natureza do Senhor Jesus, Sua vida, Seu Espírito, Sua posição na presença de Deus, o que é sermos santos e irrepreensíveis em amor; que é assim que Deus nos vê, assim que o Senhor Jesus está diante dEle – quando se percebem todas essas coisas, há razão para nos prostrarmos diante dEle, para nos lançarmos sobre o nosso rosto e dizermos: o céu é meu, Jesus é meu, a herança é minha, eu já tenho o seu penhor, sim, a herança é minha. “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”, que nos deu, ao mais fraco dentre nós, a todos nós, um quinhão celeste que é a própria parte do Senhor Jesus, a parte daquele que Deus estabeleceu nos Seus conselhos como centro de todas as bênçãos. Este
em nossos l  bios outra express  o que esta     Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo     O Esp  rito de ...
Cristo ressurreto que nos deu um lugar consigo, que nos uniu consigo para sempre, este Cristo que será o centro em torno do qual há de girar toda a glória, toda a história futura, - quando tudo será segundo os pensamentos de Deus, quando todas as coisas serão perfeitas! Agora, lendo o primeiro capítulo da primeira carta de Pedro, percebemos que o Espírito de Deus nos coloca numa posição totalmente diferente daquela que ocupamos na passagem precedente. O céu, na carta aos Efésios, a terra, na carta de Pedro. Aqui estamos, um pobre grupo de crentes, obrigados a atravessar este mundo; somos exortados à virtude e à coragem moral, e encontramos toda sorte de dificuldades; no fim do percurso cremos possuir alguma coisa, mas não possuímos nada. Sem dúvida que a salvação é uma realidade, uma grande realidade, mas na carta de Pedro a salvação é futura, como todas as bênçãos aí são futuras. Não temos senão uma salvação da alma, mas de fato não possuímos nada. Basta ler o primeiro capítulo da primeira carta de Pedro, para vermos que o crente não tem nada. E é infeliz por isso? Absolutamente: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”. Ele não pensa nas dificuldades da jornada. Estará desanimado? De modo nenhum; o mesmo louvor que ouvimos na carta aos Efésios tornamos a encontrar nesta carta: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”! Eis aí uma alma cheia de felicidade, e gozo, e ações de graça, contudo ela nada possui. Mas essa alma tem dentro de si a fé que se apodera das bênçãos por vir. Essas bênçãos nós ainda não possuímos, mas assim como temos a certeza de que fomos resgatados pelo sangue de Cristo, assim sabemos que elas são nossas; podemos já render graças por elas, e isso porque a nossa fé, a fé que nos foi dada por Deus, toma a nossa esperança como uma realidade eterna. Deus jamais nos enganará naquilo que nos prometeu. Se Ele nos faz sentir neste
Cristo ressurreto que nos deu um lugar consigo, que nos uniu consigo para sempre, este Cristo que ser   o centro em torno ...
mundo que aqui nada há para possuirmos, e se temos a seguir um caminho que é o caminho do deserto, há um país de delícias, o qual nossos corações já podem gozar agora pela fé, e no qual entraremos quando o Senhor Se levantar do Seu trono e nos vier buscar, para estarmos com Ele para sempre. Leiamos agora o primeiro capítulo de II Coríntios. “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” Por que esse “Bendito seja”? O que é que teve a virtude de encher o coração do apóstolo e dar-lhe tal capacidade de se expandir em ação de graças e louvor diante do seu Deus? Ele está no meio de terríveis circunstâncias; a morte o segue de perto a cada passo, ele só encontra sofrimentos, lágrimas e gemidos no meio deste mundo. Dores de todos os tipos; ele está em angústia, em dificuldades, e que dificuldades! Não obstante, ele diz: “Bendito seja”! e o diz, porque esse Deus a quem ele se dirige é o Deus de toda a consolação. Nós sofremos, porém Ele nos consola. Ele nos cerca da Sua força e do Seu poder. Ele nos enche de gozo e paz no meio do que nos faz sofrer; não somente para nos fazer felizes, mas para que sejamos capazes de comunicar as consolações que recebemos, a fim de que outros possam dobrarse diante do Pai e dizer, dia após dia: “Bendito seja o Deus de toda a consolação”! “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” ! Sim, amados, aprendamos a dizer esta palavra, cultivemos esta experiência, consideremos o mundo como ele é, como Deus o vê; consideremos os sofrimentos que temos de suportar neste mundo, como um meio de fazer conhecer o que são as consolações do Pai; consideremos este mundo como tendo sido separados dele, para aí vivermos num mundo onde tudo é luz e amor, um mundo capaz de edificar nossas almas, onde podemos encontrar a cada passo as bênçãos celestes, posto que aprendemos a viver não da terra ou sobre a terra, mas porque temos aprendido em Cristo, nosso
mundo que aqui nada h   para possuirmos, e se temos a seguir um caminho que    o caminho do deserto, h   um pa  s de del  ...
bem-amado Salvador, a viver no céu e a viver do céu! Henri Rossier A ARCA FLUTUARIA Cientistas incrédulos estão sempre procurando contestar verdades bíblicas que aparentemente podem implicar em divergências com o conhecimento científico atual. Recente matéria publicada na Veja confirma o óbvio para aqueles que creem integralmente na Palavra de Deus revelada na Bíblia, entre os quais me incluo, ou seja, que A ARCA DE NOÉ FLUTUOU. Na história bíblica de Noé, uma arca gigantesca é construída para abrigar dois animais de cada uma das espécies existentes no planeta e salvá-los de um dilúvio. Do ponto de vista científico, essa proeza seria possível? A resposta é sim, mas com ressalvas. As especificações bíblicas para o tamanho da arca, respeitadas no filme Noé, são precisas: 300 côvados de comprimento, 50 de largura e 30 de altura. O côvado é uma unidade de medida arcaica que se baseia no comprimento do antebraço, da ponta do dedo médio até o cotovelo, e cada uma das civilizações antigas adotava uma medida diferente para representá-la. Um grupo de estudantes da Universidade de Leicester, na Inglaterra, que realizou um estudo sobre a arca de Noé, estabeleceu um padrão ao fazer uma média entre o menor valor (44,5 centímetros, adotado pelos hebreus) e o maior (52,3 centímetros, dos egípcios), chegando a 48,2 centímetros. Com base nessa medida, a arca teria 144,6 metros de comprimento (o equivalente a cerca de um quarteirão e meio), 24,1 metros de largura (aproximadamente dez carros, lado a lado) e 14,4 metros de altura (um prédio de quase cinco andares). Curiosamente, as medidas são parecidas com as de um navio de carga atual, e as dimensões ainda correspondem à proporção adotada no presente. "O fato de a arca ter essas dimensões é surpreendente,
bem-amado Salvador, a viver no c  u e a viver do c  u   Henri Rossier  A ARCA FLUTUARIA Cientistas incr  dulos est  o semp...
porque são os parâmetros de um navio da atualidade", afirma Ricardo Pinto, professor de engenharia naval da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Para saber se a arca flutuaria, é preciso analisar também o material usado na sua fabricação. O texto bíblico menciona a "madeira de gofer", que, hoje, seria semelhante ao pinheiro ou ao cipreste. Como a densidade dos dois materiais é parecida, os estudiosos ingleses escolheram o cipreste como exemplo. Com essas informações, e assumindo que Noé teria seguido as instruções o mais literalmente possível, construindo uma embarcação retangular, em forma de caixa, é possível concluir que a arca não afundaria na água. "Qualquer objeto, ao ser colocado na água, provoca o deslocamento de certo volume. Para flutuar, o peso do volume da água deslocada pelo corpo deve ser igual ao peso do próprio corpo", explica Pinto. "Esse tipo de madeira leve faria com que a embarcação flutuasse facilmente." Contando ove- lhas — Essas estimativas referem-se à arca vazia. Para descobrir o peso que a embarcação teria de suportar, é preciso saber quantos animais seriam colocados dentro. Pesquisadores que estudaram a história de Noé, como John C. Whitcomb e Henry M. Morris, autores do livro The Genesis Flood (O dilúvio de gênesis, em tradução livre), chegaram à conclusão de que cerca de 35 000 animais precisariam entrar na arca para que o Reino Animal fosse salvo. Existe uma discussão sobre o fato de que a expressão "dois animais de cada tipo", contida da Bíblia, pode não significar exatamente cada espécie, o que reduziria ainda mais o número de eleitos. Whitcomb e Morris estimaram, também, que a ovelha representaria a média de tamanho dos animais. A partir desses números, os cientistas da Universidade de Leicester calcularam que a arca suportaria o peso correspondente a 2,15 milhões de ovelhas. "Nós observamos que a arca aguentaria o peso, não como os animais caberiam
porque s  o os par  metros de um navio da atualidade , afirma Ricardo Pinto, professor de engenharia naval da Universidade...
dentro dela, ou como seriam armazenados alimentos e água fresca", diz o estudante de física Oliver Youle, principal autor do estudo, publicado em 2013 no periódico Journal of Physics Special Topics, da Universidade de Leicester. Além da capacidade do barco de suportar o peso, mais fatores precisam ser levados em consideração. "Podemos até assumir que a arca teria flutuabilidade, mas não sabemos sobre sua estabilidade", afirma Pinto. A estabilidade depende da geometria, ou seja, do formato da embarcação, e da condição em que a carga foi dividida nela. "Se todos os animais pesa dos, como elefantes e leões, fossem colocados de um lado só, ela provavelmente ficaria desequilibrada." Seria necessária uma distribuição de peso cuidadosa para manter a embarcação estável, principalmente devido a seu tamanho. "Quanto mais comprida uma viga, mais fraca ela é. Um navio funciona como uma viga em termos técni- cos, então quanto mais comprido, mais bem estruturado pre- cisa ser", explica o professor. Para ele, a arca seria um navio "muito arrojado" para os padrões da época, uma construção tão surpreendente quanto as pirâmides do Egito. Leia Gênesis 6,7 e 8 SEMPRE JUNTO À FONTE "Aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede" (Jo 4:14) Quem é crente em Jesus encontra bastante em seu Senhor para satisfazê-lo agora e saciá-lo para sempre. Quem crê em Jesus não é uma pessoa cujos dias são tediosos por falta de consolação e cujas noites são longas por falta de alento na alma, pois acha no Senhor uma tal fonte de gozo, uma tal fonte de conforto, que está contente e feliz. Ponha-o numa caverna e ele estará em boa companhia; coloque-o no deserto nu, e ele comerá do pão do céu. Afaste-o dos amigos, e ele estará com o "amigo mais chegado que
dentro dela, ou como seriam armazenados alimentos e   gua fresca , diz o estudante de f  sica Oliver Youle, principal auto...
um irmão". Faça secar todas as suas aboboreiras, e ele achará sombra junto à Rocha dos Séculos; solape os alicerces de todas as suas esperanças terrenas, e seu coração ainda estará firme, confiando no Senhor. O coração humano é insaciável como a sepultura - até o dia em que Jesus entra nele. Há tal plenitude em Cristo que Ele só é tudo para o crente. O verdadeiro santo está tão completamente satisfeito com a todo-suficiência de Jesus, que não mais tem sede - a não ser de beber mais profundamente da Fonte viva. Esta doce sede, amado, você irá sentir. Não será uma sede penosa, porém um anelo de amor. Será doce ao seu coração suspirar por um gozo mais pleno do amor de Jesus. É este o sentimento do seu coração agora? Você sente que todos os seus anseios estão satisfeitos em Jesus e que você nada mais quer, senão conhece-Lo mais e Ter mais próxima comunhão com Ele? Então venha continuamente à fonte, e tome de graça da água da vida. Jesus nunca achará que você está tomando demais. Ele sempre lhe dará as boasvindas, dizendo: "Bebei abundantemente, ó amados". C H Spurgeon Eclesiastes 10:10 - No afã da vida, não nos deixemos ficar de tal forma atarefados, a ponto de negligenciar aquela parada necessária para "afiar o corte", vindo a ficar "embotados". "Tempo pra ser santo tu deves tomar". Sejamos tão famintos pela comunhão com Cristo que o nosso coração não possa deixar de pôr-se à parte para estar a sós com Ele, contando como lucro o tempo "perdido" no serviço ativo, se for para estarmos à parte com Cristo. Living Waters SOMOS FEITURA DELE O homem tem apenas uma vida para viver, e cada um deve estar desejoso de que essa vida conte ao máximo para a humanidade. Em Efésios 2:10, encontramos
um irm  o . Fa  a secar todas as suas aboboreiras, e ele achar   sombra junto    Rocha dos S  culos  solape os alicerces d...
palavras que poderão ajudar-nos em nosso dia-adia: "Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas". A palavra "criados", no grego, é "poema". Nós somos poemas de Deus. Ele encarnou uma idéia original em cada um de nós. Deus nunca Se repete em nenhuma vida humana. Lembremonos, pois, de ser originais. Eu perdi dez dos meus melhores anos, tentando imitar outros. Embora todos possamos receber auxílio através de amizades e do estudo de biografias, contudo precisamos estar sempre indo a Deus para saber o que Ele intenta para nós. Então pedir-Lhe que opere inteiramente em nossa vida o que está em Seu pensamento para conosco. Você está preparado para aceitar isto e submeter-se a Deus dia por dia, para que Ele possa cumprir através de você o inteiro propósito da Sua vontade? E para dar, a um mundo que espera, o Seu poema de poder, ou pureza, ou amor, atra- vés da sua vida? Esta carta aos Efésios é a carta da "vida interior". Isto é, a carta na qual, de princípio a fim, o apóstolo nos fala do que nós somos em Cristo Jesus. Assim como toda a criação estava na mente de Deus para ser elaborada passo a passo, até à sua consumação, assim toda a Igreja de Jesus Cristo estava na mente de Deus antes que os montes nascessem, ou que formasse a terra e o mundo. E você e eu éramos apontados para um lugar definido naquele maravilhoso corpo. O que era esse lugar não se fará plenamente claro a nós, até ao dia em que estivermos diante de Deus na eterna luz. Mas é confortador saber que já havia um lugar definido para você e para mim no propósito de Deus. Não traz isso um novo sentido e dignidade à nossa vida? saber que ela é a elaboração do que Deus concebeu em Sua mente, ao criar-nos em Cristo Jesus? Quando olhamos para os homens, as mulheres e o que nos rodeia, a vida parece tão cheia de coisas banais, de pequenas inquietações, an-
palavras que poder  o ajudar-nos em nosso dia-adia   Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as ...
siedades, aflições e desenganos, que podemos ser levados a supor que não importa muito a Deus o modo como vivemos. Mas se lembrarmos sempre de que há um eterno propósito em Cristo em nossa regeneração, procuraremos sempre agir como é digno da nossa elevada vocação em Cristo Jesus. A maior coisa que podemos fazer neste mundo é viver uma vida santa, piedosa. Todas as pequenas coisas da sua vida - as inquietações, as ansiedades, as aflições, seu emprego e ambiente, as linhas que você é compelido a seguir todas elas, no programa de Deus, visam a lhe dar a melhor oportunidade possível de tornar-se o que Ele quer que você seja. Tendo todo o poder em Suas mãos, Deus podia fazer de cada um de nós o que bem Lhe parecesse. Ele poderia Ter feito daquela mulher uma rainha; daquele homem, um milionário ou um príncipe. Mas de toda a miríade de oportunidades neste mundo, o Deus TodoPoderoso escolheu para nós exatamente aquela posição em que nos encontramos hoje. Porque Ele sabia que era o único lugar em que poderíamos chegar mais perto do que é o Seu ideal para nós. Pode ser que haja alguma dor profunda em sua vida. Pode ser que alguém o esteja ralando, por sua constante importunação e provocação. Mas tenha sempre em mente que nada é tão pequeno que não tenha sido programado por Deus para fazer de você, tanto quanto possível, o Seu ideal. Agora, encare a sua vida. Você tem estado a murmurar, a se afligir, a invejar e a aspirar por ser livre? Passando por cima das coisas belas, por causa de duas ou três coisas desagradáveis? Não tem dado atenção ao que pode elevar e confortar o seu espírito, por estar tão oprimido com as coisas que o magoam? Essa não é a verdadeira maneira de viver. Aprenda cada dia a sua lição e cada dia traga a sua vontade à vontade de Deus, para que ambas coincidam. A PERMISSÃO DE DEUS Mas alguém diz: "Bem, eu estou preparado para admi-
siedades, afli    es e desenganos, que podemos ser levados a supor que n  o importa muito a Deus o modo como vivemos. Mas ...
tir que minha posição presente é, de modo geral, o resultado da escolha de Deus, mas não que as aflições e ansiedades que vêm à minha vida por meio de outras pessoas sejam a escolha de Deus. Eu faço uma distinção entre o que Deus diretamente aponta e o que me vem através da intervenção dos outros." Pois bem, a princípio eu também fazia essa distinção, mas não pude achar descanso enquanto agia assim. Além do mais, considere como nós - você e eu - estamos cercados pelo cuidado de Deus. Suponhamos que alguém atire contra mim uma seta envenenada, através de um artigo de jornal ou de uma observação ferina, e ela venha caminhando na minha direção. O Deus onipotente pode desviar aquela flecha com o escudo da Sua proteção. Mas suponhamos que Ele abaixe o escudo e a deixe atingir meu coração. Não se tornou ela a expressão da Sua vontade para mim? Portanto, eu sigo pelo mundo ousando crer que coisa alguma, por pequena que seja, me acontece, sem que seja o cinzel de Deus, cortando fora um pouco mais de mim mesmo e produzindo mais perfeita semelhança ao que Ele concebeu em Sua mente para mim. PARA QUE ANDÁSSEMOS NELAS "Criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou, para que andássemos nelas." Nós não temos de criar a nossa vereda, mas de encontrá-la. Não temos de abrir caminho através de um emaranhado, mas de descobrir o caminho que o Pai celestial preparou para nós, desde a nossa entrega a Jesus até ao dia em que seremos recebidos no Lar. Nunca se esqueça de que você foi criado em Cristo Jesus para uma vereda preparada de antemão. Deus, que sabia exatamente o que estava nessa vereda, criou você para ela e ela para você. E a sua vida é simplesmente a descoberta da vereda preparada por Deus. Ela pode encontrar-se na campina verdejante, ou na encosta escarpada; pode ser isolada e
tir que minha posi    o presente   , de modo geral, o resultado da escolha de Deus, mas n  o que as afli    es e ansiedade...
solitária, ou achar-se entre o povo atarefado; mas a sua vereda, meu amigo, foi preparada para você desde a fundação do mundo, pela sabedoria e amor de Deus. Há, pois, duas coisas que são necessárias a todos nós. A primeira é conhecer a vereda, e a segunda é a força para andar nela. Quero falar um pouco sobre as duas: a) DIREÇÃO Em primeiro lugar, como posso saber qual a vereda preparada para mim, seja para o dia seja para a vida? Deixe-me apenas indicarlhe como podemos saber o caminho da vontade de Deus. Certa vez, quando eu atravessava o canal da Irlanda numa noite escura e sem estrelas, parei no convés ao lado do capitão e perguntei-lhe: "Como o senhor sabe a direção do porto numa noite escura como esta?" Ele me respondeu: "Está vendo aquelas três luzes? As três precisam estar alinhadas uma atrás da outra como se fossem uma só; quando as enxergo assim unidas, sei a exata po- sição da entrada do porto." Quando queremos conhecer a vontade de Deus, há três coisas que sempre concorrem: o impulso interior, a Palavra de Deus e a tendência das circunstâncias. Deus, no coração, impelindo-nos para diante; Deus em Seu Livro, corroborando com o que tiver dito no coração; e Deus nas circunstâncias, que são sempre indicativas da Sua vontade. Jamais comece, enquanto essas três coisas não estiverem de acordo. Você, jovem, pode ter um impulso interior para ser missionário, mas tem de sustentar uma mãe inválida. Portanto, a inclinação das circunstâncias e o impulso interior não condizem. Você precisa esperar. Quando você não souber o que fazer em seguida, fique onde está, até que o saiba. Se Deus não nos indicou a vereda depois de um certo ponto, permaneçamos quietos até que Ele o faça. Lancemos a responsabilidade sobre Deus. Quando o nosso julgamento é suficiente, Deus deixa a ação a cargo do nosso julgamento. Temos uma ótima ilustração disto, em
solit  ria, ou achar-se entre o povo atarefado  mas a sua vereda, meu amigo, foi preparada para voc   desde a funda    o d...
Atos 12:12. Pedro estava na prisão. Não podia sair. Portanto o anjo veio e levou-o para fora, abrindo-se a porta por si mesma. Você vai ver que as portas sempre se abrirão por si, se estiver na companhia dos anjos de Deus. O anjo então levou Pedro por duas ruas, visto que ele estava tão surpreso que pensou estar sonhando. Mas quando o ar da noite o fez desperto, o anjo o deixou. "E, considerando ele nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos." Estamos vendo que o anjo o acompanhou enquanto ele estava ainda surpreso, mas quando tornou a si, foi como se lhe dissesse: "Agora, Pedro, tu estás no teu sentido. Podes achar por ti mesmo o caminho, por isso te deixarei". Quando o nosso julgamento for suficiente, Deus nos guiará por ele. Se for esse o caso, não esperemos um milagre. FILHOS TARDIOS Quanto mais tardios formos para entender, mais precisaremos apoiar-nos em Deus. Eu creio que as pessoas tardas para perceber a vontade de Deus realmente são as que vivem melhor com Deus, se apenas se contentarem em ser tardas e em não parecer sábias. Tomé era assim. Ele ficou uma semana atrasado em relação aos outros apóstolos. Mas bem sabemos como Jesus foi solícito em explicar-lhe o mistério de Sua ressurreição. Se eu tivesse em minha família três ou quatro filhos realmente inteligentes e um atrasado e tardo em seu intelecto, e dissesse às crianças que fossem encontrar-se comigo em determinado ponto, para um passeio num sábado à tarde, talvez observasse o rosto do pequeno ainda inquiridor e vago, sem ter compreendido minha explicação. Deixaria eu que ele perdesse o prazer do passeio, quando precisava daquilo ainda mais do que os outros? Iria eu puni-lo por seu atraso mental, que talvez pudesse atribuir-se a mim? Não, eu o poria ao colo e lhe explicaria tudo novamente. E se ainda não entendesse, diria: “Sente-se aqui e fique
Atos 12 12. Pedro estava na pris  o. N  o podia sair. Portanto o anjo veio e levou-o para fora, abrindo-se a porta por si ...
me esperando. Depois do jantar levarei você comigo”. Assim, o filho atrasado obtém mais do meu bondoso e amoroso auxílio do que os outros, que me foram esperar no ponto marcado. Se você é um dos tardos filhos de Deus, que não entende o que Ele está dizendo, fique onde está, até que Deus o tome pela mão e diga: "Venha comigo". Deus jamais nos deixará na ignorância. Se você pediu a Deus para guiar o seu entendimento, considerou bem o assunto, agiu como achou mais prudente, buscando a vontade dEle, e, ao seguir adiante, deparou com uma grande dificuldade, o que pensar? Veja bem, isso não prova que você tenha se enganado ou que não esteja na vereda de Deus. Não. Prova, ao contrário, que qualquer outro caminho teria sido intransitável. Haverá uma passagem através dessa dificuldade, quer seja por baixo, por cima ou por volta dela, e a seu tempo se mostrará. Toda vez que, confiando no Senhor, nos decidirmos por um caminho, pedindo a Ele que nos bloqueie, se estivermos errados, prossigamos, pois se essa não fosse a Sua vereda para nós, Ele nos teria dito. Atrevamo-nos a prosseguir. b) TOME O QUE É SEU Quando sabemos qual é vereda a seguir, precisamos aprender a valer-nos do Poder que está ao nosso alcance para andarmos nela. Para estas boas obras há toda a suficiência em Jesus Cristo, em quem fomos criados. Para cada boa obra há uma parte correspondente de graça em Cristo. A dor, a tristeza, a ansiedade estão todas previstas, e a graça para todas elas está em Cristo. E mais: a forma especial de prova foi dirigida de modo a compelir-nos a tomar de Cristo o que de outra maneira não conheceríamos. Permitiu-se que cegos fossem a Cristo, para mostrar que nEle havia colírio; que fossem a Ele surdos e mudos, para que dEle saíssem para eles audição e fala; mortos foram trazidos a Jesus, para que todo o mundo conhecesse a vida que estava em Cristo.
me esperando. Depois do jantar levarei voc   comigo   . Assim, o filho atrasado obt  m mais do meu bondoso e amoroso aux  ...
Até agora, provavelmente você tem estado a olhar para alguma provação em sua vida com bastante ansiedade e tem procurado fazer frente a ela, mas tem sido vencido por ela e constantemente derrubado ao solo. Isso é apenas porque Jesus quer mostrar-lhe o que Ele pode fazer. Um meu amigo foi certa vez visitar um nobre decadente, isto é, que havia conhecido dias melhores. Contudo, era ainda possuidor de uma grande extensão de terra. Meu amigo dirigiu-se à sua residência, muito antiga, onde tinham morado já seus ancestrais. Mas, ali chegando, encontrou apenas uma governanta. O lugar era agradável, porém ela disse que o nobre se encontrava no abrigo junto ao portão. Meu amigo foi até lá e viu que ele estava vitimado por uma estranha enfermidade, que o levava a pensar que não tinha mais dinheiro algum. E, para fazer economia, havia deixado a magnífica residência, que ainda podia manter, para morar no abrigo da guarda. Estranha atitude, não é verdade? Mas é o que você tem estado a fazer. Deus intentava para você uma vida de rei, e pôs em Jesus Cristo todo o necessário para capacitálo a viver essa vida. Você viu o plano, mas não ousou começar a realizá-lo, porque achou que não tinha capital suficiente. Enquanto, em Jesus Cristo, Deus colocou a plenitude da Sua possessão e "nos abençoou com todas as bênçãos espirituais". (Efesios 1:3) "Em quem habita corporalmente toda a plenitude da divindade". (Colossenses 2:9) "O seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade". (2 Pedro 1:3) Sempre que Deus me confia uma nova responsabilidade, eu recorro a Ele, sabendo que me dará muito mais do que o Seu auxílio. Você por certo entende intelectualmente o que estou dizendo, mas talvez nunca tenha aprendido a arte de receber de Cristo. Pois bem, todas estas coisas nos irão sendo ensinadas uma por uma, se apenas nos apresentarmos a Deus. DêLhe a sua mente, para que Ele possa pensar em você
At   agora, provavelmente voc   tem estado a olhar para alguma prova    o em sua vida com bastante ansiedade e tem procura...
os Seus pensamentos. DêLhe o seu coração, para que nenhum amor esteja ali senão o Seu e o que Ele permitir. Dê-Lhe as suas mãos, o seu corpo, sua vida inteira, para que Ele possa cumprir neles a Sua vontade. Esse é o segredo de vivermos bem. Irmão, que Deus o instrua mais e mais e o ajude a entregar tudo a Ele! F B Meyer ELE ESTÁ CONOSCO Anos passados, houve um profundo avivamento na igreja da Coréia. Sempre que há um despertamento verdadeiro, seja num grupo, seja num coração, o Senhor Jesus torna-Se magnificamente precioso ao crente. É o que podemos ver nas notas que seguem, que, embora datadas de 1954, trazem-nos muita inspiração: No meio das ruínas e escombros das cidades açoitadas e queimadas da Coréia, nos alojamentos dos refugiados, tão cheios e pouco limpos, nos gélidos e provisórios hospitais de guerra, pelas estradas poeirentas, através das ruelas estreitas das vilas reconstruídas às pressas, nos mercados congestionados e cheios de odores misturados, anda o Senhor Jesus Cristo hoje. Mas Ele não é uma figura solitária e desconhecida, ignorada e malquerida, olhando cheio de compaixão e anelo para rebanhos sem pastor. Ele anda ali, entesourado nos corações de centenas de milhares, que o conhecem como o Amigo chegado, que leva seus pecados e dores. Milhares que O amam com uma paixão profunda, raramente achada no sofisticado Ocidente. Embora Ele ande por aquelas ruas quietas ou movimentadas, Ele não é apenas o Cristo das ruas coreanas, mas o Cristo do Coração Coreano. Ou melhor ainda, "O Jesus (Yesoo) do Coração Coreano", como é conhecido. "E chamarás o seu nome Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados." Lembro-me de uma ocasião. Era tarde, numa noite fria de dezembro. Apenas uma luzinha daqui e dali pelas frestas
os Seus pensamentos. D  Lhe o seu cora    o, para que nenhum amor esteja ali sen  o o Seu e o que Ele permitir. D  -Lhe as...
das portas de papel. E de dentro de uma casa pequenina e apertada, chegaramme aos ouvidos as notas abafadas de um hino: "Yesoo, Yesoo, kweehahn Yesoo..." "Jesus, Jesus, precioso Jesus". Uma pequena família de povo muito simples, como milhares de outras, estava tendo seu culto doméstico antes de deitarse. Como meu coração se aquecia ao lembrar-me da cena, enquanto subia para minha casa no monte. Jesus não é mais uma estranha doutrina, pregada pelo estrangeiro do ocidente. Ele é "O orie sarang hanan Koojoo" "Nosso amado Salvador". Moços e velhos, homens e mulheres, têm a bendita segurança: “Jesus é meu”. Sim, Jesus está hoje no coração de milhões de pessoas nesta terra sofrida, esta terra ferida e devastada pela guerra. Jesus está aqui para dar Sua doce consolação, para dar força para os pesados fardos, para trazer a luz de outro mundo dentro de suas choças escuras, para comunicar o gozo que o mundo não pode tirar, para trazer a paz que excede to- do o entendimento, para dar cânticos na noite. Embora Ele tenha estado já por anos no coração do Presidente da Coréia, tenha sido recebido por muitos do Gabinete, por alguns dos principais generais e por pessoas cultas e de classe, é o homem comum, e a mulher comum, e a criança comum, que tem aberto a Ele o coração. Jesus está em seus corações enquanto caminham exaustivamente por aquelas estradas ásperas; enquanto pacientemente trabalham, com água pelos joelhos, nas plantações de arroz; enquanto batem e clareiam roupa na beira dos rios; ao se reunirem em suas igrejinhas pela manhã, ainda escuro, para oração; ao se congregarem cada Dia do Senhor, com aquelas roupas muito brancas e os rostos brilhantes, para louvar a Deus, de quem vêm todas as bênçãos pelo precioso nome de Jesus. Os milhares que têm vindo ao Salvador e O têm recebido em seu coração não têm sido ganhos pelos missionários. Apenas uns poucos. Quase todos têm ouvido as
das portas de papel. E de dentro de uma casa pequenina e apertada, chegaramme aos ouvidos as notas abafadas de um hino   Y...
Boas Novas dos lábios de seus próprios conterrâneos. A história vai de boca em boca e de coração para coração. "O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco. E a nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo". Os cristãos na Coréia não "abraçam o cristianismo". Não são ganhos para uma nova religião. Eles são apresentados a uma Pessoa - a mais maravilhosa Pessoa que já viveu - aliás, a mais maravilhosa Pessoa que vive! Uma Pessoa que os amou antes ainda de terem ouvido falar do Seu Nome. Uma Pessoa que os amou a ponto de morrer por eles. Uma Pessoa que os convida a comunhão Consigo por toda a eternidade. Uma Pessoa que está à porta e Se oferece para entrar e "cear com eles". E eles têm aberto a porta e recebido a Jesus. Arch Campbell
Boas Novas dos l  bios de seus pr  prios conterr  neos. A hist  ria vai de boca em boca e de cora    o para cora    o.  O ...